Dois evangelistas cristãos, Ksor Y Du, 47 anos, e Kpa Y Co, 30 anos, foram sentenciados em novembro a seis e quatro anos de prisão, respectivamente, por “minar a unidade nacional”.

Ksor e Kpa, da igreja Missão Boas Novas do Vietnã (VGNM, sigla em inglês), receberam as duras sentenças em 15 de novembro. Prisão domiciliar de quatro e dois anos respectivamente também foi adicionada às sentenças, de acordo com fontes da igreja e do jornal Phap Luat (Lei) do Vietnã.

Ambos os evangelistas, que são da minoria Ede, moram no distrito de Song Hinh na província de Phu Yen, onde existem mais de 20 congregações da VGNM. Ksor foi um dos milhares que pertencem a povos étnicos minoritários na região Montanhosa Central do Vietnã que participaram das manifestações de 2004 contra a opressão religiosa e o confisco ilegal de suas propriedades. Eles ficaram detidos por 10 meses sem acusações, disse uma fonte da área.

Durante um interrogatório, autoridades lhes ordenaram a acusar os líderes da VGNM de começar ilicitamente a organização e a acusar o pastor Mai Hong Sanh de abrir uma escola bíblica ilegalmente em Buonmathuot, disseram as fontes. As autoridades se enfureceram quando eles recusaram.

A mulher de Ksor, A Le H’Gioi, disse a líderes da igreja que o juiz da Corte do Povo se referiu diretamente ao assunto de sua fé, perguntando a seu marido: “Você ainda insiste em seguir a religião?”

O juiz também perguntou: “Depois de já ter estado na prisão, você ainda insiste em permanecer na Missão Boas Novas do Vietnã?” – ela disse que seu marido respondeu que ele não desistiria de sua fé em Deus mesmo que isso significasse a morte.

[b]Fonte: Missão Portas Abertas [/b]