O arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagoto, falou sobre a recente visita do papa Bento XVI ao Brasil, quando disse que a Igreja não deveria se envolver em política. Segundo o arcebispo, o papa não disse nada de novo nesse sentido, apenas aprofundou uma linha que vinha adotando e alertou, em relação aos clérigos que hoje têm mandato eletivo: “manda quem pode, obedece quem tem juízo”.

Para o religioso, o papa motivou ainda mais para que a Igreja faça parte de soluções, e esteja construindo a política e a organização social, mas não esteja “na politicagem”, explica.

“Nós sabemos que padres não deveriam participar da política partidária”, entende. “Isso dirime quaisquer questões. Isso faz com que tenhamos um discernimento daquilo que nos é próprio”, explica o arcebispo.

No entender de Dom Aldo, fica claro que a missão da Igreja é orientar o povo na fé e essa fé exige sim uma participação na construção da cidadania, mas isso não deve ser confundido com participação em política partidária fechando-se na proposta de um partido político.

Fonte: WSCOM