Dono da TV Record, a rede que promete um dia destronar a Globo, e líder da Igreja Universal do Reino de Deus, o bispo Edir Macedo (foto) afirma que tolera cenas de sexo e com palavrões em novelas “realistas”.

“Não gosto das apelações do sexo, palavrões. Mas admito que, quando se procura trazer a realidade, isso é inevitável. O pior é quando se faz apologia religiosa”, disse em entrevista à Folha, por e-mail. Auxiliares de Macedo sempre criticaram o “merchandising” da Igreja Católica nas novelas da Globo.

O bispo contou ainda que não costuma acompanhar a programação de novelas até porque passa a maior parte do tempo fora do Brasil, e que prefere o “jornalismo de credibilidade”. “[Assisto] quando tenho tempo. Aprecio muito a criatividade de alguns autores e o talento de alguns atores”. Na TV, “como qualquer cidadão que usa a razão”, prefere “jornalismo de credibilidade”.

O bispo diz que a Igreja Universal (Iurd) jamais deixará de ocupar as madrugadas da Record, porque “a Iurd sempre vai precisar da Record, bem como de qualquer outra emissora que se disponha a vender espaços para ela”.

É por meio da programação das madrugadas que a igreja injeta recursos na Record, turbinando seu crescimento. No ano passado, a Universal pagou mais de R$ 250 milhões pelo espaço, proporcionalmente mais caro do que em qualquer outra rede. O valor equivale a mais de 25% do que a Record diz ter faturado no ano.

Fonte: Folha de São Paulo