As brasileiras Ana Lúcia Machado e Christina Takatsu Winnischofer integram a delegação anglicana que participará, de 26 de fevereiro a 9 de março, em Nova Iorque, da 51a. Comissão sobre o Status da Mulher, na Organização das Nações Unidas (UNCSW, a sigla em inglês).

“A eliminação de todas as formas de discriminação e violência contra meninas” é o tema da reunião da UNCSW. “Esperamos aprender muito sobre a situação das meninas no mundo, porque elas são o futuro para as mulheres, para a Igreja e para a comunidade global”, disseram as duas brasileiras ao serviço de notícias da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB).

A delegação anglicana é a maior representação dentre as organizações não-governamentais na UNCSW. Mais de 60 mulheres e meninas anglicanas, de 31 nações, procedentes de paises desenvolvidos e em desenvolvimento, vão participar da 51a reunião da UNCSW.

A comitiva anglicana também participará de evento especial na Igreja da Trindade, em Wall Street, no dia 24. As meninas anglicanas vão entrevistar, então, a bispa presidente da Igreja Episcopal americana, reverenda Katharine Jefferts Schori, a observadora anglicana na ONU, Hellen Wangusa, e a diretora executiva do UNICEF, Rimah Salah. O evento tem por tema “Clamando pelo futuro: esperanças e desafios”.

“Algumas dessas meninas vêm de países muito pobres ou de países onde mulheres têm pouco poder de tomar decisões. Assim, poder falar com mulheres líderes tão proeminentes e ver o quanto essas mulheres se preocupam com o futuro das meninas no mundo, isso será transformador para as entrevistadoras”, avaliou Christina Winnischofer.

A diretora da Divisão para o Avanço das Mulheres nas Nações Unidas, Carolyn Hannan, disse que as políticas da UNCSW são ótimas, mas de difícil implementação, porque implicam mudanças de atitudes.

Fonte: ALC