O legendário Comandante Zero, Edén Pastora, candidato à presidência da República pelo partido Alternativa para a Mudança (AC), na Nicarágua, denunciou planos contra o partido e assegurou que conta com o apoio de grupos cristãos porque “ele representa a mudança que as pessoas desejam”.

“Se Satanás me pede que dialogue, recebo-o com água benta. Eu dialogo com todos os atores políticos e não tenho planos de retirar-me da disputa eleitoral. Vou até o final porque este povo quer mudança”, disse Pastora, num recesso durante o fórum convocado pela Procuradoria para a Defesa dos Direitos Humanos (PPDH).

Em coletiva de imprensa, Pastora revelou a intenção da Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN) e do Partido Liberal Constitucionalista (PLC) de destruírem o seu partido, a AC, o Movimento Renovador Sandinista (MRS) e a Aliança Liberal Nacional (ALN). Os dois partidos autores do Pacto, sandinistas e liberais, “não querem deixar uma terceira opção para a mudança na Nicarágua e essa mudança é prometida por AC”, assegurou.

O deputado e presidente de AC, Orlando Tardencillla, informou que denunciaram ao Conselho Supremo Eleitoral que ativistas da FSLN destruíram propaganda na parte ocidental e oriental do país. Tardencilla reafirmou o discurso de Pastora e disse que não há retrocesso e que vão até o final.

O controverso Comandante Zero disse, ao responder perguntas de jornalistas, que conta com o respaldo do povo evangélico e católico porque desejam mudanças que só o seu partido oferece.

“Os problemas sociais são resolvidos com soluções políticas”, afirmou Zero. Ele prognosticou que caso o governo não resolver imediatamente a crise de energia que assola o país, em três meses o setor industrial quebra, e isso seria fatal. Pastora disse que seu partido é sério e não falará sobre fraude até que a veja. “Há 20 anos se fala de fraude na Nicarágua antes das votações, mas depois das eleições ninguém volta a tocar no assunto”, criticou.

Fonte: ALC