A guerra de audiência falou mais alto do que a guerra religiosa. Por determinação do bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal, a Record vai transmitir quase na íntegra a visita do papa ao Brasil, em maio.

A TV de Macedo inicialmente pretendia cobrir a visita como a de qualquer outra autoridade internacional, apenas nos telejornais. Agora, deve transmitir ao vivo boa parte da missa que Bento 16 rezará em São Paulo (Campo de Marte).

Na última quinta, a Record surpreendeu as demais redes ao anunciar, em uma reunião na Globo, que decidira integrar o pool de emissoras que participarão da cobertura.

No pool, cada TV ficará responsável por imagens de determinado evento ou local. As imagens irão para um satélite, ao qual todas as redes terão acesso. A Record irá gerar do mosteiro de São Bento, onde o papa ficará hospedado e se encontrará com bispos.

A Globo, coordenadora do pool, gerará a missa do Campo de Marte. A parte da Band será cobrir um encontro do papa com jovens no Pacaembu. O SBT cederá um helicóptero.

A mudança de posição da Record é mais comercial do que institucional. A emissora avaliou que perderia audiência se limitasse a visita do papa aos jornais. Além disso, Edir Macedo concluiu que esta é a chance de a Record reparar um “erro” de 12 anos atrás, o episódio em que um bispo da Universal chutou a imagem de uma santa.

Fonte: Folha de São Paulo