A Igreja Universal reuniu pelo menos 650 mil pessoas, segundo estimativa da PM, ontem na praia de Botafogo, zona sul do Rio, em evento que prometia ser “a maior sessão de descarrego do mundo”.

No palco de 180 metros quadrados, o bispo Edir Macedo, fundador da igreja, reapareceu em um dos grandes eventos da Universal e incentivou os fiéis a doarem o dízimo.

“Aqui tem funcionários públicos, advogados, médicos (…) É dando … vai dar e receber”. Ajudantes dos pastores, vendiam um caderno com as letras das músicas cantadas no evento por R$ 2. Macedo discursou classificando a violência como “a manifestação do Satanás”.

Desde sua prisão em 1992, acusado de charlatanismo, Macedo reduziu suas participações em grandes atos, passou a viver parte do tempo no exterior e a pregar em cultos em templos da igreja, não em áreas públicas. Em seu discurso, o bispo afirmou que o evento era para “pessoas de todos os credos”.

Como o encontro tinha ainda como tema “Paz no Rio”, mães de vítimas da violência, entre elas Jovita Belfort, mãe de Priscila Belfort, desaparecida há três anos, relataram como seus filhos morreram ou sumiram, ao lado do senador e bispo licenciado da igreja, Marcelo Crivella (PRB).

Cerca de 1.600 ônibus foram usados por fiéis de diversas regiões do Estado.

A sessão de descarrego estava prevista para ocorrer no começo da madrugada de hoje, quando Macedo prometia curar deficientes e doentes com o “poder da fé”.

A duração do evento, que teria 12 horas, foi reduzida após contestação da associação de moradores do bairro.

Fonte: Folha de São Paulo