Na última quinta-feira (5), o deputado federal pastor Ezequiel Teixeira (Solidariedade – RJ) voltou a comentar as acusações feitas contra Eduardo Cunha e também o apoio que o presidente da Câmara – agora afastado por medida liminar – chegou a receber de pastores.

[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/840×500/smart/media.guiame.com.br/archives/2016/05/06/1545011284-pastor-ezequiel-teixeira.jpg[/img]Já em novembro de 2015, Teixeira havia se posicionado sobre este assunto, com um texto, que também foi noticiado pelo jornalista Lauro Jardim, em seu blog do jornal O Globo.

“Quero deixar um recado aos pastores e líderes que apoiaram esse senhor [Cunha]: peçam perdão a Deus, à Igreja e ao povo brasileiro”, disse o pastor em seu texto.

Apesar de ele não concordar com o apoio que foi dado a Cunha, Texeira destacou em sua publicação da última quinta-feira, que este também não seria o momento de simplesmente abandonar parlamentar afastado de seu mandato.

“Quero deixar claro que Eduardo Cunha não representa o povo evangélico. Infelizmente, durante a campanha, vários pastores e lideres apoiaram Eduardo”, lamentou.

“Espero que esses lideres e pastores não o abandonem, ao contrário devem pregar o verdadeiro evangelho para ele. Quem sabe se converte? Repito: Não deixem de pedir perdão, só Deus sabe quanto custou esse apoio”, disse.

Citado por Lauro Jardim como um “ex-aliado de Cunha”, Pr. Ezequiel tratou de “corrigir” tal informação.

“Em tempo, esclareço que nunca fui aliado de Cunha, ao contrário, disputamos eleição para o mesmo cargo”, destacou.

Ap. Ezequiel lidera junto à sua esposa, Márcia Teixeira, a comunidade cristã Projeto Vida Nova de Irajá (RJ).

[b]Fonte: Guia-me[/b]