O mais alto tribunal da Igreja Metodista Unida cobrou um posicionamento do bispo do Texas, para que avalie a elegibilidade de candidatas lésbicas para a classe clerical da congregação.

Após surgir um caso específico, o Conselho Judicial da Metodista Unida decidiu que o Bispo James Dorff da conferência local deve emitir uma decisão em relação à remoção de Mary Ann Kaiser do clero, para saber se o tribunal agiu corretamente.

“O assunto está detido ao bispo para uma decisão sobre as questões apresentadas. Sua apresentação deve ser submetida ao Secretário do Conselho da Magistratura no prazo de 60 dias a contar da notificação. Assim, o Conselho Judicial mantém sua jurisdição”, resume a decisão em parte.

“Eu vou emitir uma decisão sobre as questões apresentadas no pedido original dentro do prazo dado pelo Conselho Judicial. Eu respeito a decisão do Conselho e em oração, farei o meu melhor para proferir uma decisão dentro da conformidade, com as disposições do Livro de Disciplina de 2012”, destaca o bispo.

O caso de Mary Ann Kaiser se refere ao seu requerimento no ano de 2008 para ser candidata a diácono dentro da conferência do Alabama, Flórida, extremo sul dos EUA. Durante o começo deste ano, o órgão que rege a candidatura se negou a aceitar o pedido de Mary Ann, por ela manter um relacionamento com alguém do mesmo sexo.

Na ocasião, Dorff deu o pedido como “discutível e hipotético” e solicitou uma decisão do tribunal, que agora devolve a questão ao cobrar uma decisão definitiva sobre o ocorrido.

As normas da congregação apontam a homossexualidade como “incompatível com a doutrina cristã”, mas diversos clérigos já solicitaram uma revisão da legislatura. Agora, o caso de Mary Ann e a decisão de Dorff podem ser cruciais para dar um novo rumo ao debate.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]