Uma carta que crítica duramente os planos do governo da Escócia para legalizar os casamentos homossexuais foi lida neste domingo em 500 igrejas católicas do país.

A Igreja Católica, que se opôs à legalização do matrimônio entre pessoas do mesmo sexo que o governo nacionalista escocês pretende aprovar este ano, encorajou seus fiéis a “rebelar-se” contra o que considera uma “redefinição do casamento”.

A carta fala da “profunda decepção” com os planos do governo e pede aos políticos que “apoiem o casamento em vez de destruí-lo”.

O cardeal O’Brian, máxima autoridade da Igreja Católica na Escócia, que descreveu recentemente o casamento gay como “uma subversão grotesca de um direito humano universalmente aceito”, disse hoje que com esta carta se pretende convencer os políticos que “redefinir o casamento seria um erro”.

No texto se sustenta que “o ensinamento da Igreja sobre o casamento é inequívoco e único, a união de um homem e uma mulher, e por isso é um erro que os governos, políticos e Parlamentos busquem destruir ou alterar essa realidade”.

O governo escocês deve aprovar neste ano uma lei que permitirá a partir de 2015 os casamentos civis entre homossexuais.

Os casais do mesmo sexo podem optar atualmente na Escócia pelas uniões civis que oferecem o mesmo tratamento legal que o casamento em termos de heranças, pensões, seguros de vida, manutenção das crianças, direitos de próximos e de imigração.

[b]Fonte: Folha de São Paulo[/b]