Três das quatro vias que cercam a praça Ary Coelho, no centro da capital de Mato Grosso do Sul, amanheceram esta sexta-feira, 20, pintadas com frases religiosas. O ato, visto como uma manifestação contra à 8ª Parada da Diversidade Sexual, desagrada a maioria da população, que não sabe quem fez as pichações.

As frases “Buscai o Senhor enquanto se pode achar!”, “Jesus Voltará” e “O pecado não te ama! Jesus sim te ama!”, ocupam todos os trechos da 14 de Julho, Afonso Pena e 15 de Novembro que cercam a praça. As palavras são brancas e pintadas à mão. Segundo Alan, da farmácia DrogãoMix, quando o estabelecimento abriu, às 7h, “já estava tudo ponto”.

“Acho errado isso. Todo mundo têm direito e envolveram a religião dos outros no meio. Porque que não pintaram semana passada?”q, uestionou.

O pessoal da farmácia São Bento, na avenida Afonso Pena com a 14 de Julho, que fica aberta 24 horas, também relatou que ninguém falou nada. Segundo eles, a escala de plantão troca às 7h, e ninguém comentou.

O presidente da Aliança Evangélica de Campo Grande e vice-presidente da Igreja Batista, Ronaldo Leite, disse que a igreja, tanto Evangélica, quanto Batista, condena a ação de pichação.

Ronaldo diz que a marcha da “Parada Gay” já passou algumas vezes pela igreja, dizendo que os evangélicos são homofóbicos. “Porém, acho que quem fez isso são desavisados. Evangélicos que têm Jesus no coração, respeitam a Lei”. Segundo ele, se fosse outro tipo de manifestação, como cartazes, tudo bem.

A presidente da ATMS (Associação das Travestis e Transexuais de Mato Grosso do Sul), Cris Stephany, questionou a ação. “Quem será que são os baderneiros? Nós que estamos em um movimento legalizado ou esses conservadores eu fizeram isso? Este é um ato de discriminação.”

Segundo Cris, na Marcha para Jesus, realizada pelos Evangélicos, “nenhum homossexual foi incomodar”.

Opinião da população

Para Maria Silva, que estava passando pela praça, as pinturas podem ser vistas como forma de evangelização. “ Acho que Deus deixou dois caminhos, o certo e o errado. A pessoa que fez isso, talvez quisesse mostrar o certo. Quem quiser é só não olhar”, disse ela.

Já o mototaxistas Wesley, que só ficou sabendo hoje pela manhã, afirmou que a atitude é errada por dois motivos. “Primeiro porque a rua é pública e segundo, porque quem disse que gay não tem religião”.

Fonte: Capital News