A Globo voltou a ser alvo dos ataques da Record. Reportagem exibida ontem à noite no programa “Domingo Espetacular”, da Record, criticou a forma como a Globo mostrou a prisão Edir Macedo em 1992. Ele foi acusado, na época, de cometer os crimes de curandeirismo, charlatanismo e estelionato.

A matéria da Record também criticou a forma como a minissérie “Decadência”, da Globo, retratou o bispo. O folhetim contou a história de um pastor corrupto, vivido pelo ator Edson Celulari, que extorquia dinheiro de seus fiéis. De acordo com a matéria, o personagem de Celulari usou frases do líder da Igreja Universal na minissérie.

Prometendo relembrar os maus momentos que o bispo viveu há 15 anos, a reportagem foi veiculada na semana do lançamento do livro “O Bispo – A História Revelada de Edir Macedo”.

“Voltar ao passado faz parte da maratona de entrevistas que Edir Macedo concedeu por conta de um livro que vai ser lançado nesta semana”, disse Paulo Henrique Amorim ao anunciar o livro que, segundo ele, trará “revelações surpreendentes sobre o dono da Record e da igreja que mais cresce no país”.

Em entrevista para o “Domingo Espetacular”, a mulher e a filha de Macedo disseram que sua prisão foi “muito violenta” e que chegaram a pensar que era um “seqüestro”.

“Eu não vi nada. O que eu vi, o que eu senti era revolta. Eu estava em paz comigo, mas revoltado com aquela situação e pensando e nela [mulher] e minha filha deveriam estar naquele momento. […] Não sabia se estava sendo seqüestrado, pois preso não havia razão”, disse ele na entrevista para o “Domingo Espetacular.

A reportagem mostrou Edir Macedo visitando a cela onde ficou preso por 11 dias. “Casado, pai de filho, ficar de castigo 11 dias numa prisão. Ser aprisionado por quê? O que que você fez? A quem eu fiz mal. A pergunta é essa. Quem foi prejudicado através do meu trabalho, do meu ministério.?”

Ele também fez questão de dizer que a Igreja Universal do Reino de Deus não pára de crescer. “A igreja existe há 30 anos. E ela só cresce. Se sou uma pessoa que prejudica, que explora o pobre, por que ela cresce? É possível enganar as pessoas um tempo, dois tempos, mas não todo o tempo. Estamos há 30 anos no mundo, não só no Brasil. Estamos nos Estados Unidos, na Europa e até no Japão.”

O bispo disse que não poderia mais ficar calado e que correu o risco de sofrer um ataque cardíaco fulminante quando foi abordado pelos policiais no dia em que foi preso “por causa de uma injustiça”. Depois completou: “sem justiça não há amor”.

Fonte: Folha Online