No primeiro dia de sua visita a Portugal, o papa Bento 16 evitou abordar temas polêmicos durante a homilia da missa que reuniu cerca de 200 mil pessoas em Lisboa nesta terça-feira.

Temas que desagradam a Igreja Católica, como as leis portuguesas que facilitam o divórcio e permitem o aborto até as dez semanas de gestação, não foram sequer citados pelo pontífice, que deve ficar em Portugal até a próxima sexta-feira.

Para a missa, realizada na praça mais nobre da cidade –o Terreiro do Paço, em frente ao rio Tejo– foi montado um altar em que os fiéis viam o papa com a paisagem do rio ao fundo.

Milhares de bandeirolas verdes e vermelhas –as cores da bandeira portuguesa– e a foto do papa foram distribuídas para quem participava da celebração.

Paróquias e escolas cristãs levaram centenas de ônibus e grupos de fiéis para participarem da missa.

Durante o culto, a mensagem de Bento 16 foi pela evangelização, para que todos os cristãos portugueses se empenhassem em trazer mais pessoas para o catolicismo –atualmente, 84% dos portugueses se declaram católicos, mas cada vez menos pessoas vão à missa.

Na homilia, o papa citou os descobrimentos portugueses como uma forma de levar a mensagem cristã pelo mundo e pediu que os portugueses fizessem o mesmo na União Europeia.

Na chegada a Lisboa, o papa apresentou a viagem como uma peregrinação. No discurso feito no aeroporto, ele disse que vinha para estar em Fátima na celebração das aparições de Nossa Senhora –a primeira aparição foi no dia 13 de maio de 1917.

A viagem também comemora os dez anos da beatificação de dois dos três pastores que viram as aparições em 1917.

Segurança

Cerca de 8.000 agentes policiais foram destacados para fazer a segurança da visita de quatro dias do pontífice, no que está sendo considerada a maior operação do tipo na história de Portugal.

Nas avenidas por onde o papa passou, desde o fim de semana não era permitido estacionar.

Ao longo de quilômetros, todas as lixeiras das ruas foram removidas, para evitar um eventual atentado. Nas ruas, grades impediam as pessoas de entrarem na faixa de rodagem.

Apenas 80 mil pessoas acompanharam a missa no Terreiro do Paço. O restante estava nas ruas em torno, onde foram montados telões para permitir que todos assistissem à cerimônia.

Comparação

Para estar na primeira fila da missa, muitos fiéis chegaram com cerca de dez horas de antecedência. “Cheguei às 8h15 da manhã”, contou a aposentada Idalina Correia, a segunda pessoa mais perto do altar, esperando pela cerimônia, que começou às 18h.

“Vim porque sou católica praticante e é sempre bom ver o papa. Eu queria ver o outro papa (João Paulo 2º), mas na época ainda trabalhava e não pude. O outro, para mim, era quase um Deus, eu chorei ontem só de ver a imagem dele na televisão. Este é uma excelente pessoa, embora não tenha o carisma do anterior”.

Desde as 9h30 da manhã no Terreiro do Paço, o agricultor João Marques também comparou Bento 16 com João Paulo 2º. “Eu vim porque queria ver o santo padre. Já o outro, eu o adorava. Este é bom, mas o outro era outra coisa”.

Fonte: BBC Brasil