A Fifa vetou o uso do véu islâmico pela equipe de futebol feminino do Iraque.

O embaixador iraniano Mustafa Musleh Zadeh chamou a Fifa de “desumana” após a entidade ter vetado o uso do véu islâmico pela equipe de futebol feminino do país, que acabou banida da partida contra a Jordânia pelas eliminatórias para as Olimpíadas de Londres. Ele concluiu dizendo que vê “motivações políticas” na decisão.

De acordo com a lei islâmica, as mulheres são proibidas de andarem descobertas em público. Ao rejeitarem tirar a vestimenta e saberem da exclusão, muitas jogadoras chegaram a chorar em campo.

Zadeh classificou a atitude de “extremista” e a comparou com as restrições do Taleban à prática de esportes pelas mulheres. O embaixador ainda frisou que irá fazer uma reclamação formal junto à federação asiática.

A Fifa se defende e diz que desde 2007 o uso de véus islâmicos são proibidos por motivos de segurança. A entidade também diz ter alertado a federação iraniana sobre a proibição antes da partida.

Nos jogos mundiais da juventude, porém, as mulheres iranianas jogaram com uma espécie de véu adaptado sem qualquer restrição ou reclamação por parte da Fifa.

[b]Fonte: UOL[/b]