Um dia depois de sugerir a devolução ao governo do projeto que regulariza as igrejas construídas em área pública, o presidente da Comissão de Orçamento da Câmara Legislativa, deputado Paulo Roriz, leu o requerimento pedindo mais 15 dias de prazo para dar o parecer sobre o projeto.

Tempo para a Terracap fazer uma vistoria em todos os terrenos; quase 2 mil lotes.

O deputado apontou irregularidades em, pelo menos, 11 emendas que vão incluir lotes vazios para regularização. O presidente da Comissão de Orçamento, deputado Paulo Roriz, não quis dizer quais foram os autores das emendas.

“A minha obrigação, como parlamentar, foi detectar o erro. E não cabe a mim dizer quem é que fez essas emendas”, afirma o deputado.

O deputado Wilson Lima (PR-DF) foi o único a assumir a autoria de uma das emendas, mas para se defender. Segundo ele, o lote de 10 mil metros quadrados, perto do Setor Noroeste, seria para a ampliação de um sanatório espírita, que já existe.

“Mostraram um local ermo, que não tinha nada e está aqui construído”, diz Lima.

Mas, assessores da Comissão de Orçamento da Câmara dizem que a ampliação de área não é permitida pelo projeto do governo. Entre os outros deputados, que ontem (13) apoiaram a decisão de Paulo Roriz de denunciar irregularidades, a lei também foi do silêncio.

“Eu não procurei saber quais são os autores das emendas. Mas o processo é público, sim. Basta fazer a busca no sistema informatizado da Câmara Legislativa”, enfatiza o líder do governo, deputado Leonardo Prudente (DEM).

Mesmo sob suspeita, o projeto continuou recebendo emendas. A proposta já estava pronta para ser encaminhada à Terracap e teve que parar na assessoria de plenário, para que três novas emendas de deputados, apresentadas nesta quarta-feira (14), fossem incluídas.

Fonte: DFTV