A associação Obras Sociais Irmã Dulce quer que entidades e empresas deixem de usar o nome da religiosa em suas marcas.

A associação Osid (Obras Sociais Irmã Dulce), que administra a obra social e a imagem da freira, notificou 15 entidades e empresas para que deixem de usar o nome “Irmã Dulce” em suas marcas.

Entre os notificados estão hospitais, escolas, gráficas e até um centro espírita.

A Osid também briga na Justiça contra uma rede de farmácias do Rio Grande do Norte, que, desde 1992, utiliza comercialmente o nome da freira baiana.

Segundo a advogada que representa a instituição, Monica Palma, a Osid autoriza o uso da marca apenas por empresas que não têm fins lucrativos e que não atuam nas mesmas áreas da associação –saúde e educação.

[b]Fonte: Folha Online[/b]