Insatisfeitos com os verbetes da enciclopédia colaborativa Wikipedia, um grupo de evangélicos norte-americanos decidiu criar uma “enciclopédia colaborativa na qual você pode confiar”, a [url=http://www.conservapedia.com/Main_Page]Conservapedia[/url] (em inglês). Lá, os enciclopedistas defendem, por exemplo, que a teoria da evolução pela seleção natural, de Charles Darwin (foto), tem sérios problemas para ser conciliada com o registro fóssil.

Outra defesa deles é que o Big Bang e os dinossauros estão na Bíblia.

O consenso científico passa longe de tudo isso, mas, segundo os autores da Conservapedia, o site oferece uma “alternativa necessária”. Para eles, a criadora do modelo colaborativo para enciclopédias seria anticristã e antiamericana.

Apesar de a famosa enciclopédia on-line poder ser editada por qualquer um, os conservadores dizem não conseguir publicar nesse site as informações que desejam. Por isso, optaram pelo clone cristão, criado em novembro do ano passado, que deve “promover seus valores”.

“Tentei editar a Wikipedia e descobri que os editores tendenciosos censuram ou alteram fatos de acordo com seu ponto de vista”, afirmou ao jornal britânico “Guardian” o advogado Andy Schlafly, fundador da Conservapedia. “Meus textos factuais chegaram a ser removidos em 60 segundos.”

Entre outras críticas feitas pelo grupo, eles afirmam que muitos dos verbetes da Wikipedia usam palavras britânicas, e não norte-americanas. Além disso, a página “não dá crédito o bastante ao cristianismo pelo Renascimento [movimento cultural]”.

Segundo o “Guardian”, o co-fundador da Wikipedia Jimmy Wales não se importou com a driação dessa alternativa bastante parecida com seu site. “A cultura livre não conhece fronteiras. Damos as boas-vindas a essas variantes de nosso trabalho”, afirmou.

Apesar de criticar a visão tendenciosa da Wikipedia, é provável que a Conservapedia sofra esse mesmo tipo de ataque. Isso porque diversos verbetes divulgam uma versão religiosa para os fatos. Ao fazer uma busca por “Big Bang”, por exemplo, o internauta encontra informações sobre a teoria de que o Universo era formado por uma matéria muito quente e densa que expandiu há cerca de 14 bilhões de anos. A página também divulga uma parte do Gênesis, sobre o início do Universo, e afirma que, “de certa maneira, a teoria do Big Bang pode ser vista como a validação do texto bíblico.

Já os dinossauros, descritos pela Wikipedia como “animais vertebrados que dominaram o ecossistema terrestre por mais de 160 milhões de anos” ganha um viés religioso na versão conservadora. Eles teriam sido criados no sexto dia da semana da criação e viveram no Jardim do Éden em harmonia com outros animais, comendo apenas plantas.

Além disso, no verbete sobre teoria da evolução, o site conservador afirma que “há pouco consenso entre os cientistas sobre como a macroevolução [transição que marca a evolução de uma espécie em outra] pode ter acontecido”. A página também se propõe a municiar os defensores da idéia de que os seres vivos foram criados tais como são, e não passaram por um processo evolutivo. “Criacionistas podem citar fontes que mostram não haver evidência fóssil real para a macroevolução e, segundo as quais, o registro fóssil apóia o criacionismo.”

Fonte: G1