A Comaduec (Convenção de Ministros das Assembléias de Deus Unidas do Ceará), liderada pelo bispo Shelley Macêdo, continua com a sua ofensiva contra a candidata à Prefeitura de Fortaleza, Luizianne Lins (PT).

Na tarde desta sábado (30), a Convenção deu entrada em um mandado de segurança no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) para manter os outdoors contra a atual prefeita.

Para Evangelista Menezes, assessor de Shelley Macêdo, o fato se tornou uma “guerra espiritual” e Luizianne está atrapalhando o “povo de deus”. Por isso, a entidade deu entrada no mandado de segurança. Para a entidade, a petista seria “contra o povo de Deus”, por ter vetado um projeto de lei que previa a manutenção de exemplares da Bíblia nas escolas municipais de Fortaleza.

A Comaduec já colocou cerca de 160 outdoors por Fortaleza criticando a candidata. Nos 100 primeiros, Luzianne era acusada de ser “contra a bíblia e o povo de Deus”, e a justiça determinou que eles fossem retirados.

Em seguida, mais 60 outdoors foram colocados. Desta vez, o nome de Luizianne foi substituído por “Jesabel”, considerada pelo Antigo Testamento como perseguidora de profetas. A nova campanha foi coberta por tinta preta pela coligação de Luizianne depois de autorização do juiz eleitoral Emanuel Leite Albuquerque.

Se o mandado de segurança for autorizado, os outdoors em que Luizianne é chamada de Jesabel serão recolocados. Além disso, novos panfletos com o texto bíblico serão distribuídos pela cidade: “Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre no medo da autoridade? Pratique o bem. E ele o enaltecerá”.

A Justiça Eleitoral em Fortaleza já determinou a quebra do sigilo bancário da Comaduec para descobrir quem está pagando a campanha contra Luizianne e também encaminhou o caso para a Polícia Federal, que poderá instaurar inquérito sobre o caso. A Comaduec afirma que a campanha não tem cunho político e declara que os recursos para a propaganda são oriundos da ajuda de fiéis.

Fonte: Folha Online