Outdoors contrários ao homossexualismo patrocinados por uma entidade evangélica da Paraíba e afixados em Campina Grande (130 km de João Pessoa) abriram uma polêmica com a ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros).

Com a expressão “homossexualismo” em grandes letras vermelhas e a frase atribuída à Bíblia “E fez Deus homem e mulher e viu que era bom” logo abaixo, as placas integram uma “campanha em defesa da família e da Constituição”, elaborada pelas entidades Vinacc (Visão Nacional para a Consciência Cristã) e Projeto Jonas.

A Vinacc diz receber apoio de cerca de 80% das igrejas evangélicas da Paraíba. O Projeto Jonas é uma iniciativa de “evangelização de massa”, conforme o site do projeto. Ao todo, dez outdoors foram afixados em Campina Grande.

A campanha das entidades, lançada no último dia 15, inclui um manifesto contrário ao homossexualismo como “padrão normal e natural”. A entidade é contrária ao projeto de lei que tramita no Senado e que equipara a homofobia ao racismo.

Segundo o texto de lançamento do manifesto, disponível no site da Vinacc (www.vinacc.org.br), a aprovação do projeto transformará o país em uma “ditadura gay”.

O presidente da ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros), Toni Reis, considerou a campanha como a mais ostensiva contra o homossexualismo já vista no Brasil. “Estamos chocados. Isso é fora do comum”, disse Reis.

A ABGLT encaminhou ontem ofício a órgãos como o Ministério da Justiça em repúdio à campanha. Pede a retirada da campanha da internet, a proibição dos outdoors e da distribuição de panfletos.

Para o presidente da Vinacc, Euder Faber, a campanha não é contrária ao homossexualismo, mas em defesa da família e das garantias constitucionais. “As pessoas têm direito de optar pelo homossexualismo, mas isso não está de acordo com o plano de Deus.”

Fonte: Folha Online