Maria Luiza Targino, Nina – como gosta de ser chamada – é coordenadora nacional do ministério [url=http://despertadebora.com.br/]Desperta Débora[/url], organização interdenominacional ligada à Mocidade para Cristo (MPC) e formada por um gigantesco exército de mães intercessoras – biológicas, adotivas ou espirituais – [img align=left width=300]http://www.convensul.com.br/wp/wp-content/uploads/2012/02/noticia-2012-02-16.jpg[/img]comprometidas em orar por seus filhos e pela juventude por, no mínimo, quinze minutos diários. Advogada e bacharel em Teologia atua como obreira da Missão Juventude Evangélica Paraibana (Juvep) e como membro do Conselho Coordenador da Aliança Evangélica Brasileira. Aos 62 anos, é mãe de três filhos, avó e participa da Igreja Batista de Tambaú, em João Pessoa (PB), cidade onde nasceu. Considerada um dos principais nomes da igreja evangélica brasileira a falar sobre a importância da intercessão a favor dos filhos, em 2015, lança seu primeiro livro pela Mundo Cristão, “Mães de joelhos, filhos de pé – O que acontece quando você ora”.

Em entrevista exclusiva à equipe de Comunicação da editora, Nina fala sobre o lançamento e aborda informações interessantes sobre o ministério Desperta Débora. Confira!

[b]Mundo Cristão: Como e quando surgiu a ideia de fundar um ministério com essa finalidade? [/b]

Nina Targino: O Desperta Débora nasceu no coração de Deus, que tocou o Pastor Jeremias Pereira da Silva por ocasião da Consulta Global sobre Evangelização Mundial (GCOWE) em maio de 1995, em Seul, Coréia. Um dos pontos altos desse encontro foi a consagração dos primeiros 100 mil jovens para a obra missionária. Durante a consagração foi feita uma menção de gratidão às mães que oraram para que esse movimento se tornasse realidade. Esse fato fez nascer no coração do pastor Jeremias e do pastor Marcelo Gualberto, que também estava na Coréia, o sonho de ver algo semelhante em nosso país. Assim, esses dois pastores lançaram um desafio para que as mães brasileiras começassem a orar intensamente por um despertamento missionário no Brasil. A esposa do Pastor Jeremias, Ana Maria Pereira (In Memoriam), foi convidada a unir-se a eles e, assim, os três iniciaram o movimento, pois não há despertamento missionário sem oração e ninguém ora pelos filhos como as mães oram.

[b]MC: De onde vem esse título? [/b]

Nina Targino: O nome Desperta Débora veio da leitura de Juízes 5: 7-12. Débora foi uma juíza que se levantou como mãe para defender Israel – sua nação. Nesse texto, ela desafia a si mesma, dizendo: “Desperta Débora, desperta, acorda”.

[b]MC: Atualmente, qual é a abrangência do ministério? [/b]

Nina Targino: Hoje já são mais de 100 mil mães cadastradas em todo o território brasileiro e em mais de 40 países. A liderança é composta por mais de 2.500 coordenadoras locais de cidades, de estados, regional e nacional.

[b]MC: De forma concisa, poderia citar alguns testemunhos que presenciou? [/b]

Nina Targino: Trabalhando no Desperta Débora, vivenciando ao longo dos anos mães orando pelos filhos biológicos, adotivos e espirituais, presenciei muitos testemunhos. Alguns relacionados a respostas conforme foram pedidos ao Senhor; outros não de acordo com o pedido, mas de acordo com a vontade soberana de Deus; e também muitos testemunhos de espera, de mães que ainda aguardam suas respostas, mas cheias de fé. São filhos rendidos aos pés do Senhor, filhos libertos das drogas, curas, libertação, e jovens tendo a oportunidade de ouvir falar que só Jesus é o Senhor.

[b]MC: Mãe de joelhos, filhos de pé – o que acontece quando você ora. O que os leitores encontrarão no livro? [/b]

Nina Targino: Encontrarão experiências que vivi com o Senhor e que também testemunhei. Histórias ligadas à oração e do muito que Deus faz em resposta à intercessão. Escrevi o que creio, que nada do que apresentamos ao Senhor fica sem resposta. Deus é o Senhor da nossa história e é o maior interessado na salvação de nossos filhos.

[b]MC: Este é um livro apenas para as mães? [/b]

Nina Targino: Não, este é um livro também para os pais que sentem a grande responsabilidade de ensinar os filhos no caminho por onde eles devem andar. Ambos, pai e mãe, têm essa responsabilidade. Dirijo-me às mães, mas gostaria muito que os pais me dessem a oportunidade de conversar com eles também.

[b]MC: Por que a oração dos pais (pai e/ou mãe) a favor dos filhos, especialmente, é importante?[/b]

Nina Targino: Vivemos dias difíceis, violentos, complicados. Um pai, uma mãe, por mais que amem os filhos, não podem rendê-los aos pés de Jesus, estar com eles por todos os lugares, proteger todo o tempo, livrá-los do braço do maligno, mas a oração deles pode. A oração toca o coração de Deus, e Deus está em todo lugar e pode salvar, curar, proteger, libertar os filhos aonde quer que eles forem.

[b]MC: Na ausência dos pais, seja por morte, abandono, entre outros contextos, outras pessoas podem desenvolver esse papel na intercessão? [/b]

Nina Targino: Sim, no Desperta Débora, por exemplo, temos as mães espirituais que adotam outros filhos para orar e interceder diante do Senhor por eles como se fossem seus próprios filhos.

[b]MC: Na obra, a senhora dedica um capítulo para o tema “Faça a coisa certa – Quais são os erros mais frequentes na intercessão pelos filhos?” É possível que pai e/ou mãe, mesmo bem intencionados, cometam erros na prática da oração pelos filhos? Quais os erros mais comuns?[/b]

[img align=right width=300]http://www.mundocristao.com.br/extraProduto/p_11092.jpg[/img]Nina Targino: Claro, a condição de ser pai ou mãe não os livra de “não orar como convém”. Os pais querem sempre o bem dos filhos e nessa ânsia cometem erros, pois oram muitas vezes segundo os seus próprios propósitos. Alguns dos erros mais comuns estão ligados às futuras profissões e a relacionamentos para casar, quando muitas vezes as expectativas dos pais são apresentadas já como resposta antecipada de Deus. Mas, ainda bem que Deus é o Senhor da nossa história e sua vontade é a última Palavra.

[b]MC: Se a resposta à oração demorar, o que fazer?[/b]

Nina Targino: Esperar com paciência no Senhor, é isso o que a Bíblia nos ensina. Não é fácil, de maneira nenhuma, mas Deus tem o seu tempo e não abandona ninguém, não desampara. Ele se junta a nós na espera, envia o seu Espírito para fortalecer a alma e renovar a esperança no coração.

[b]MC: Uma mensagem às leitoras. [/b]

Nina Targino: Nunca relaxem nas orações pelos filhos, ouça-os e priorize-os. Muito do que os filhos são é fruto do investimento que os pais e as mães fazem na vida deles, todo o tempo, o tempo todo. E lembrem-se: não tem investimento maior na vida de um filho do que oração, muita oração, do que entregá-los aos cuidados daquele que tem sempre o melhor – Deus.

Para ler a resenha do livro, [url=http://www.mundocristao.com.br/produto/811]clique aqui[/url].

[b]Fonte: Site da Editora Mundo Cristão[/b]