O missionário cristão norte-americano Kenneth Bae foi sentenciado em abril a 15 anos de trabalhos forçados.

Os Estados Unidos vão enviar seu representante para questões norte-coreanas a Pyongyang nesta semana a fim de negociar a libertação de um missionário cristão preso naquele país, afirmou nesta terça-feira o Departamento de Estado.

O enviado especial para questões de direitos humanos na Coreia do Norte, Robert King, vai viajar a Pyongyang na sexta-feira a convite do governo em uma “missão humanitária focada em assegurar a libertação do cidadão norte-americano Kenneth Bae”, afirmou o departamento em comunicado.

King vai pedir à Coreia do Norte para “perdoar o senhor Bae e lhe conceder anistia especial por razões humanitárias para que ele possa se ​​reunir com sua família e procurar tratamento médico”, acrescentou.

A Casa Branca pediu à Coreia do Norte nesta terça-feira a concessão de clemência a Bae e permissão para que ele volte aos Estados Unidos.

Em abril, Bae foi sentenciado a 15 anos de trabalhos forçados pelo Supremo Tribunal da Coreia do Norte por subversão. O tribunal concluiu que Bae, de 45 anos, usou sua empresa de turismo para formar grupos para derrubar o governo.

Bae foi detido em novembro enquanto levava turistas ao norte do país. Foi transferido de uma prisão para um hospital estatal por sofrer de uma série de problemas de saúde, incluindo coração inchado, diabetes crônica e dores nas costas e nas pernas, disse a irmã dele.

[b]Fonte: Reuters[/b]