Magos Solomon Semere, um cristão protestante, natural da Eritréia, morreu numa cadeia militar, em seu país, depois de quatro anos e meio de prisão, acusado de praticar sua fé cristã. É o terceiro cristão que morre, desde outubro de 2006, por esse motivo.

Bernie Daniel, porta-voz da organização “Martyrs Canada”, refere que Semere “tinha apenas 30 anos”. “Ele sofria de pneumonia, e posso assegurar que foi tratado brutalmente pelas autoridades militares” _ disse Daniel.

Foi-lhe oferecido, por diversas vezes, tratamento médico, se renegasse sua fé. Seu companheiro na prisão afirma que “Magos Solomon Semere estava determinado a obedecer ao Senhor e não aos homens”.

Durante o período de detenção, ele foi impedido de ver sua noiva. Solomon Semere foi um dos mais de dois mil habitantes da Eritréia, presos por motivos religiosos.

De acordo com informação fornecida pela agência Compass Direct, durante os últimos 18 meses, o governo do presidente Isaias Afwerki tomou sob seu controle, o Patriarcado Ortodoxo, que representa a comunidade religiosa mais difundida. O patriarca Antonios acusou, reiteradamente, as autoridades governamentais, de “interferirem” nas questões internas da Igreja, nas suas finanças e na sua administração.

Segundo o Observatório para a Liberdade Religiosa no Mundo, da fundação “Ajuda à Igreja que Sofre” (AIS), a Constituição da Eritréia prevê a liberdade religiosa, mas na prática, o governo não respeita esse direito. É proibida qualquer atividade política por parte de grupos religiosos, e limitado o direito dos meios de comunicação religiosos de comentarem questões políticas. Não são admitidas reuniões, sem prévia autorização, com mais de sete pessoas.

Fonte: Rádio Vaticano