Na noite do dia 28 de fevereiro, cerca de 400 fanáticos religiosos apoiados pelo Bajrang Dal (facção de um grupo fundamentalista Hindu) atacou a Escola Bíblica, localizada em Brajarajnagar, no distrito de Jharsuguda, nordeste de Orissa.

Cerca de 50 alunos e alguns funcionários foram vítimas do ataque. Seis deles foram gravemente feridos: cinco alunos da escola e uma funcionária – irmã Bindu Jena. Jena sofreu um corte profundo na testa quando a atingiram com um machado, o que a deixou inconsciente. Ela se recupera no hospital.

O grupo, armado com grandes pedaços de madeira, arcos e flechas, espadas e machados, começaram a gritar para que todos deixassem o local. Gritavam que cristãos são invasores e deveriam sair e ir para outro lugar. Depois lançaram pedras na escola e na igreja. Entraram nas dependências da escola e atacaram alunos e funcionários. Os cristãos tentavam se proteger enquanto o grupo invadia e saqueava a escola. Levaram pertences dos alunos e danificaram um jipe e motocicletas que estavam estacionadas no local. O grupo se dispersou somente quando a polícia chegou, tarde da noite.

A polícia levou os feridos para o hospital e registrou queixa contra as pessoas que lideraram o ataque. O reverendo Babykutty Lukose e o pastor Khuswah, líderes da igreja cristã em Orissa, têm buscado proteção da polícia e da administração local. A situação está sob controle no momento, com a polícia presente na escola para evitar mais ataques.

A escola começou em Jharsuguda, no ano de 1994. Houve algumas discussões com os moradores locais, que não gostam que os cristãos usem a água do rio próximo à escola para lavar suas coisas e para tomar banho. Eles alegaram falsamente que os cristãos se comportam indecentemente com meninas e mulheres na beira do rio. Os moradores locais às vezes invadem o local querendo construir uma estrada pública que passe dentro das dependências da escola. A igreja tem resistido, fato que gera tensão. Mas desta vez está claro, pelo número de pessoas envolvidas, que o ataque foi apoiado por líderes políticos ligados a fundamentalistas que instigaram a violência.

Quando a Portas Abertas falou com o pastor Khuswah, ele estava na delegacia para se reunir com os locais que lideraram o ataque. Ele ficou animado por saber que Portas Abertas havia ligado para saber como estavam. O pastor disse que eles estão comprometidos com o Senhor e também com o treinamento de pessoas para a obra de Deus, mesmo em meio às dificuldades. Disse que no dia do ataque nenhum deles tinha compromissos na escola, e que, pela graça de Deus, possuem um espaço grande (legalmente registrado) onde a escola pode funcionar. O pastor pediu oração pela proteção dos 300 alunos e funcionários da escola (149 homens e 81 mulheres entre os alunos, mais os funcionários e seus familiares), e também para que a ajuda dos policiais e das autoridades locais continue.

Pedidos de oração:

• Ore pela proteção de 300 estudantes e funcionários da escola.

• Ore para que a ajuda dos policiais e das autoridades locais continue.

Fonte: Portas Abertas