É uma tradição para os alunos da escola primária dedicar um tempo para fazer cartões do Dia das Mães em suas salas de aula, antes do feriado. Todas as escolas fazem isso, não é? Seja um cartão, uma pintura, uma “lembrancinha”, os pais amam receber presentinhos dos filhos. Mas neste ano será diferente em uma escola canadense.

[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/840×500/smart/media.guiame.com.br/archives/2017/05/10/205109653-mae-filho-e-escola.png[/img]A Escola Primária Albert McMahon no Canadá cancelou as comemorações do Dia das Mães para celebrar a “diversidade” e respeitar um “trauma recente” experimentado por um estudante. O Dia dos Pais também foi cancelado.

“Essa é uma forma de celebrar a diversidade, inclusividade e também nutrir nossos alunos que fazem parte de famílias não tradicionais. Decidimos incentivar que as celebrações sejam realizadas apenas em casa”, disse a escola em uma carta aos pais.

“Devido a isso, as crianças não vão fazer presentes na escola para dar no Dia das Mães e também no Dia dos Pais”. A notícia fez com que alguns pais ficassem consternados com a decisão da escola.

[b]Abandono das tradições
[/b]
“Este será o primeiro ano em que não receberemos presentes feitos com amor pelos nossos filhos. E uma vez que só temos um filho, isso se torna muito pior”, explicou Roy Glebe, um dos pais que têm um filho que frequenta a escola primária. “Eu não entendo por que nós, como canadenses, precisamos abandonar nossas tradições que foram passadas por gerações”, reclamou.

“Congratulo-me com todas as raças e etnias, mas forçar os pais a desistir de coisas que são importantes para nós como os canadenses é uma porcaria. E não tem nada a ver com a religião? Você não pode comemorar o dia da sua mãe ou do seu pai?”, Roy acrescentou.

Apesar disso, a escola diz que não cancelaram as comemorações por razões políticas, mas para respeitar um estudante que poderia ser afetado negativamente pelas comemorações.

“O objetivo disso não é relacionar nada com qualquer plano político”, disse Angus Wilson, superintendente do distrito escolar, à KXTV. “Fizemos isso porque houve um recente trauma envolvendo um aluno e seus pais”, explicou.

O superintendente não pôde discutir o trauma da criança com detalhes. Ele disse que os professores não queriam realizar as celebrações da sala de aula este ano e resolveram fazer diferente. “Não há nenhum plano para eliminar o Dia das Mães. Esta foi uma iniciativa inteiramente de alguns professores da escola”, disse ele. “Isso não afeta o currículo atual”, concluiu.

[b]Fonte: Guia-me[/b]