Uma escola para moças em Mardan recebeu uma carta, assinada por um grupo fundamentalista muçulmano, ameaçando “explodir o prédio” se professoras e alunas “não começarem a usar véus e burcas”.

De acordo com um canal de televisão, o diretor da Escola Secundária Estadual de Mardan recebeu a carta de um homem desconhecido, que deu à instituição sete dias para se adaptar às normas islâmicas. Assim que o prazo se esgotasse, o prédio seria bombardeado.

A escola informou as autoridades a respeito da carta, e, depois disso, seguranças uniformizados e em traje civil estiveram de prontidão ao redor da escola durante o restante da semana.

Os encarregados da investigação acreditam que cartas desse tipo são enviadas por pessoas ligadas ao líder da Al Qaeda na região, Abu Farah, que foi preso em Mardan há alguns meses. Cartas semelhantes também foram enviadas a algumas escolas em Peshawar, o que resultou no fechamento de duas escolas.

Fonte: Portas Abertas