Autoridades escolares de uma cidade no norte da Suíça anunciaram nesta quarta-feira que os meninos muçulmanos são obrigados a apertar as mãos de suas professoras ou seus pais poderiam ser multados.

A decisão vêm cerca de um mês após dois rapazes muçulmanos terem recebido permissão temporária para ignorar a tradição de cumprimentos ao entrar na sala, devido a razões religiosas. O distrito escolar de Therwil procurou o conselho escolar regional após aceitar as crenças dos meninos de que eles só devem tocar as mulheres que sejam membros da família.

Sob a decisão da diretoria da escola, professores da escola podem forçar seus alunos a apertarem suas mãos.

“O interesse público relacionado com a igualdade entre homens e mulheres, bem como a integração dos estrangeiros, significativamente supera a liberdade de religião e de crença dos alunos”, disseram as autoridades em um comunicado. “O gesto social de apertar as mãos é importante se os alunos vão ser preparados para a vida profissional.”

Se os alunos não apertarem as mãos de seus professores, seus pais podem enfrentar uma multa de até 5.000 francos suíços (cerca de R$ 18 mil reais).

O Conselho Islâmico Central da Suíça criticou a decisão, dizendo que as autoridades estão “grosseiramente ultrapassando sua competência”, e alegando que as medidas não vão ajudar a integração dos muçulmanos na Europa. O conselho disse que vai tomar medidas legais se escola cobrar qualquer punição contra os rapazes que recusam o aperto de mão.

Já a moderada Federação das Organizações Islâmicas na Suíça defendeu a decisão do conselho, dizendo que a polidez faz parte da tradição islâmica e recusar o aperto de mão é “inadequado”.

[b]Fonte: O Globo[/b]