Duas crianças foram mortas em ritual de exorcismo na Índia. Nirmal Kaur, de 55 anos, avó das vítimas, e o pai delas, Kulwinder Singh, de 30 anos, foram presos por assassinato na cidade de Kotfatta, no norte do país.

[img align=left width=300]https://i0.statig.com.br/bancodeimagens/cz/7m/te/cz7mteciwbtq2arazt1ddktca.jpg[/img]As vítimas, um menino de cinco anos e uma menina de três, foram espancadas e eletrocutadas pelo pai e a avó. A mãe das crianças, que era contra o exorcismo de seus filhos, foi trancada em um quarto para que não interferisse.

Kaur convenceu seu filho de que o ritual a ajudaria a atingir um estado de iluminação espiritual e curaria um familiar com deficiência cognitiva. Temida entre os vizinhos por ter “poderes divinos”, a mulher acreditava que poderia livrar seus netos de “espíritos do mal”.

Tudo começou na terça-feira (7), quando as crianças foram espancadas até perder a consciência antes de receberem os choques elétricos. Na quarta-feira (8), Kaur aumentou a duração e intensidade dos choques, resultando na morte dos pequenos.

Os corpos foram encontrados pelas autoridades locais depois que, assustados com os gritos, os vizinhos acionaram a polícia. Kaur havia garantido a Singh que o procedimento não apresentava riscos a seus filhos e que poderia ressuscitá-los após a morte.
Durante os dois dias pelos quais se estendeu o ritual, a mãe das crianças ficou trancada em um quarto. Ela foi encontrada pelos policiais em estado grave de saúde e está recebendo tratamento médico.

[b]Tradição[/b]

A prática do exorcismo ainda é comum na Índia e pode acontecer de diversas formas. Em Rajastan, pessoas supostamente possuídas por “espíritos malignos” podem ser vistas jogando água fervendo em seus corpos, sendo apedrejadas e acorrentadas à parede.

Em Gujarat, hindus e mulçumanos podem procurar ajuda. Os familiares dos “possuídos” alugam quartos em um templo por 800 rúpias (aproximadamente R$ 38) e as vítimas recebem tratamento em tempo integral.

Já em Gangapur o exorcismo acontece só em lua cheia e livra as pessoas de “fantasmas habitando seus corpos”. No templo da cidade, é comum ver possuídos escalando postes para se livrar do mal.

[b]Fonte: [url=http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2017-03-10/exorcismo.html]Último Segundo – iG[/url][/b]