Um tribunal espanhol condenou hoje o Arcebispado do arquipélago das Canárias a indenizar com 210 mil euros uma professora que tinha sido despedida por viver com um homem com quem não estava casada.

A decisão acusa o arcebispado de violar os direitos constitucionais à intimidade da professora, Carmen Galayo, condenando também o Ministério da Educação que obriga a re-contratar a docente,

O caso remonta a 2000, quando o responsável de ensino da diocese canária, Hipólito Cabrera, confirmou à docente que o seu contrato não seria renovado por manter uma relação afetiva com um homem que não era o seu marido, de quem se havia separado previamente.

Fonte: Lusa