Mais de sete milhões de pessoas visitam anualmente os principais lugares ligados à religião em Portugal, um segmento de mercado com grande potencial de crescimento, segundo especialistas, que lamentam a ausência de um plano estratégico de promoção turística.

“O turismo cultural e religioso é um nicho de mercado muito importante e com potencialidades, representando atualmente uma fonte de receitas muito interessante para o turismo nacional e internacional”, disse à Agência Lusa o organizador do Congresso Internacional de Turismo Cultural e Religioso, Varico Pereira.

Intimamente ligado à fé e à espiritualidade de locais e monumentos, o turismo religioso português vive em grande parte da atração gerada pelo Santuário de Fátima, que recebe anualmente cerca de cinco milhões de visitantes, entre peregrinos e turistas.

“Fátima é com toda a certeza o centro nacional do turismo religioso por excelência. É um dos locais mais visitados no nosso país e tem uma projeção internacional impressionante”, disse Varico Pereira.

Os santuários de Nossa Senhora do Sameiro e do Bom Jesus, em Braga, e São Bento da Porta Aberta, no Gerês, que, apesar de terem projeção mais nacional e regional, recebem anualmente quase dois milhões de peregrinos e turistas.

Procura

Para o presidente da Região de Turismo de Leiria e Fátima, Miguel Sousinha, os números justificam a existência de um plano nacional de promoção turística.

Segundo Sousinha, dos cerca de cinco milhões de visitantes que Fátima recebe anualmente, 1,5 milhão vêm com o objetivo de visitar Fátima e depois visitam também o país, enquanto 750 mil são turistas que estão de férias em Portugal e aproveitam para se deslocar ao santuário.

A região de Turismo de Leiria e Fátima registrou no ano passado 550 mil pernoites de estrangeiros, superando os Açores, afirmou o dirigente.

Apesar disse movimento, Sousinha disse que existem algumas “resistências” das agências turísticas em aceitar o turismo religioso como produto estratégico por causa da ligação passada de Portugal à imagem do “Fado, Fátima e Futebol”.

Estratégia

Para Varico Pereira, existe “apenas alguma promoção a nível regional, centrando as atenções em acontecimentos localizados como a semana santa, a nível nacional o turismo cultural e religioso parece promovido na cultura, no patrimônio e nas tradições”.

O dirigente apontou ainda a necessidade de melhorar a acessibilidade do patrimônio, qualificar a oferta hoteleira próxima dos locais de maior afluência, apostar na conservação e restauração do patrimônio e treinar profissionais de informação turística.

O Congresso Internacional de Turismo Cultural e Religioso vai trazer a Portugal representantes dos principais destinos mundiais de turismo religioso, como Israel, Itália, França e Espanha.

O objetivo do evento é criar uma oportunidade para discutir conhecimentos teóricos e experiências práticas sobre um segmento turístico que desde a década de 1990 tem registrado um aumento progressivo da procura em Portugal.

Fonte: Lusa