Um jovem que atacou cinco cristãos em dezembro de 2005 agrediu a esposa de uma das vítimas na semana passada, em Raipur, capital do Estado de Chhattisgarh.

Jogi Sahu, de 19 anos, supostamente ligado ao grupo extremista hindu Dharma Sena, agrediu Kanti Sharma, esposa do pastor Kanhaiya Lal Sharma, no dia 19 de fevereiro, no distrito industrial de Sarora.

“Jogi, que estava entre a multidão que me atacou anteriormente, agrediu minha esposa sob o pretexto de se vingar por ela ter discutido com ele durante uma briga junto a uma torneira de água potável de uso comunitário”, contou o pastor Kanhaiya Lal ao Compass.

Jogi tinha maltratado uma menina que tentou impedi-lo de passar à sua frente na fila para encher o balde na torneira comunitária, contou o pastor. A esposa do pastor disse a ele para parar de maltratar a garota.

Momentos depois, quando Kanti foi para casa, Jogi e seus dois irmãos chegaram, arrastaram a esposa do pastor para fora pelo cabelo e bateram nela em frente aos vizinhos. O nariz de Kanti Sharma sangrou e seus olhos ficaram inchados.

O pastor Kanhaiya Lal, que havia saído em missão, chegou depois e levou-a para a delegacia de Urla. Os oficiais se recusaram a registrar uma queixa contra os agressores e insistiu para que as partes resolvessem suas diferenças por conta própria.

Pretexto

Os policiais fizeram Kanti Sharma esperar por mais de duas horas pela chegada do inspetor antes de permitir que ela recebesse atendimento hospitalar. O médico suspeitou de uma fratura no nariz.

Um funcionário da delegacia de Urla disse ao Compass que não houve motivação religiosa para o ataque, mas os líderes cristãos de Chhattisgarh afirmaram que o incidente junto à torneira foi um mero pretexto para demonstrar oposição aos encontros cristãos na casa do pastor.

O pastor Kanhaiya Lal disse que tem enfrentado oposição e isolamento na área desde que recebeu Cristo e deixou o hinduísmo há cinco anos. Desde 2002 acontecem cultos dominicais em sua casa.

“Alguns vizinhos não gostam que cristãos venham a minha casa para cultuar todos os domingos”, afirmou ele.

Jogi era um dos participantes do incidente do dia 4 de dezembro de 2005, em que 30 extremistas do Dharma Sena agrediram cinco cristãos – Masih Das Rai, Anmol Kamble, Ram Vilas Yadav, Ramesh Das Manikpuri e o pastor Kanhaiya Lal. Os extremistas atacaram durante um culto na casa do pastor (leia mais).

Ataque recente

Extremistas do Dharma Sena atacaram uma conferência de pastores no salão de festas do Singh Palace, no dia 2 de fevereiro, em Pandri, um sub-distrito de Raipur, ferindo pelo menos 10 cristãos.

Os extremistas gritavam “salve o deus Rama” enquanto agrediam os cristãos com varas, insultando-os e acusando-os de forçar conversões de hindus (leia mais).

Os cristãos de Chhattisgarh dizem que o governo do estadual do partido nacionalista hindu Bharatiya Janata permite que os extremistas hindus lancem ataques anticristãos e permaneçam impunes.

Em 9 de fevereiro, o Fórum Cristão de Chhattisgarh organizou uma manifestação em conjunto com um partido de oposição em Raipur, a fim de protestar contra o crescente número de ataques anticristãos no Estado.

Eles enviaram também um documento ao governador, pedindo que ele assegure proteção para a comunidade cristã.

Fonte: Portas Abertas