O grupo terrorista Estado Islâmico assumiu a autoria dos atentados a bomba ocorridos na manhã de hoje (9) em duas igrejas coptas (vertente do cristianismo) no Egito. Em comunicado enviado a simpatizantes do grupo e divulgado pelas redes sociais, os terroristas confirmaram que ordenaram os ataques.

[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/840×500/smart/media.guiame.com.br/archives/2017/04/09/1765511746-igreja-copta-egito.jpg[/img]De acordo com último balanço divulgado pelas autoridades locais, pelo menos 36 pessoas morreram e 74 ficaram feridas após as duas explosões. Os fiéis foram atingidos no momento em que participavam de uma missa em comemoração ao Domingo de Ramos, celebração que marca o início da Semana Santa.

A primeira explosão foi registrada em Tanta, a cerca de 100 quilômetros do Cairo, capital do país. Duas horas depois, a segunda bomba explodiu em Alexandria, no norte do Egito. Ainda não foram divulgadas informações sobre suspeitos dos dois atentados.

As explosões ocorrem a 20 dias da primeira viagem do papa Francisco ao Oriente Médio. O papa deve chegar ao Egito no dia 28 de abril, quando se reunirá com autoridades do governo, lideres muçulmanos e com o papa da Igreja Copta Cristiniana, Teodoro II.

[b]Atentados anteriores a igrejas coptas
[/b]
Uma filial do Estado Islâmico também já havia reivindicado a responsabilidade por um atentado suicida em uma igreja no Cairo, em dezembro de 2016, que matou cerca de 30 pessoas, na maioria mulheres, além de uma série de assassinatos na península do Sinai, que levaram centenas de cristãos a fugirem para áreas mais seguras do país.

Os cristãos coptas também enfrentam ataques regulares de vizinhos muçulmanos, que queimam suas casas e igrejas em áreas rurais pobres, geralmente enfurecidos por causa de um romance inter-religioso ou pela construção de uma igreja.

[b]Fonte: Terra[/b]