Um grupo islamita na Líbia, que recentemente jurou fidelidade ao Estado Islâmico, reivindicou nesta segunda-feira, o rapto de 21 cristãos naquele país.

A mensagem do grupo é acompanhada de fotografias dos raptados, todos homens, pelo menos 20 dos quais cristãos coptas do Egipto que tinham ido para a Líbia em busca de trabalho. Na mensagem não é feita qualquer exigência.

Os coptas que vivem na Líbia já tinham sido alvo de perseguição e atentados no passado. Recentemente uma família de três pessoas foi encontrada morta na vila de Sirte.

Os cristãos foram raptados em grupos de 13 e de 7, em finais de Dezembro e início de Janeiro, no momento em que a Igreja Copta se preparava para celebrar o Natal segundo o seu calendário, no dia 7 de Janeiro. Não é certo quem será o 21º cristão, ou em que circunstâncias foi raptado.

A reivindicação por parte de um grupo ligado ao Estado Islâmico faz temer o pior para os 21 cristãos. O grupo terrorista tem um histórico de brutalidade e no Iraque e na Síria tem perseguido duramente os cristãos e membros de outras minorias religiosas.

O governo egípcio já tinha dito que estava atento à situação dos cristãos raptados, mas desde a reivindicação ainda não houve qualquer declaração oficial.

[b]Fonte: Renascença[/b]