Uma estátua da Virgem Maria, que deveria ser inaugurada nesta terça-feira em Basra, cidade do sul do Iraque, foi retirada durante a noite a pedido do episcopado caldeu por temer distúrbios religiosos.

A estátua de cinco metros de altura, financiada, entre outras, pela Organização Armênia de Basra para a Salvação e o Desenvolvimento, havia sido colocada em um jardim do centro do distrito armênio da cidade.

— A estátua foi transferida a pedido de nossos irmãos cristãos, já que poderia provocar a desestabilização da cidade — afirmou à AFP Jabar al Saidi, chefe do comitê de segurança da província de Basra.

Em carta dirigida ao governo provincial, o arcebispo caldeu de Basra, Habib Homuz al Naufali, repudiou a iniciativa de instalar a estátua na cidade.

“Nenhum responsável aprovou esta operação, que pode ter consequências graves e provocar cizânias entre as diferentes confissões da cidade”, afirmou.

A nota destaca que 90% dos cristãos deixaram a cidade majoritariamente xiita desde a invasão dos Estados Unidos em 2003, restando apenas 300 famílias.

— Tivemos autorização oficial para erguer esta estátua que representa o símbolo da coexistência pacífica em Basra. Condenamos o desmantelamento da estátua e pedimos explicações à igreja e municipalidade — declarou o militante Eczar Nimr, coordenador do projeto nacional para a coexistência pacífica no Iraque.

Os cristãos eram mais de um milhão no Iraque antes da invasão americana. A comunidade soma atualmente 400.000 membros.

Fonte: O Globo