Acusados por vizinhos muçulmanos de falarem contra o islã, Tapan Biswas e Abul Kalam, foram presos ao meio-dia do dia 6 de janeiro, na Delegacia de polícia de Bedagi. Apesar de tudo eles reforçam a confiança e a disposição de viver em Cristo, a despeito das conseqüências.

“Estou pronto para ser um cristão, estou disposto a perder minha casa para Cristo e morar em outro lugar, se meus vizinhos não me querem mais lá” , disse o ex-muçulmano Abul para os membros da Portas Abertas que o visitaram no dia 10 de janeiro.

“Nós não dissemos nada contra o islã no dia. Nós só falamos sobre o nascimento de Jesus. Quando os vizinhos ouviram sobre o que estávamos falando, eles começaram a espalhar isso aos outros e então nos levaram para a delegacia de polícia”, disse Tapan à equipe.

Abul disse: “Nós nos conhecemos há quatro ou cinco anos. Temos nos visitado. Eu estive na casa de Tapan no último Natal e no Ano Novo.”

Rancores escondidos

Um vizinho muçulmano varejista de óleo foi supostamente quem começou a propagar as notícias da conversão de Abul. Ele ficou muito bravo com a família de Abul, que era sua cliente e comprava óleo para uma máquina de irrigação.

O filho de um líder religioso, mulá (ou professor de islamismo), acusou os dois cristãos de insulto ao islã para reforçar as alegações do comerciante de óleo . Antes da apreensão, a família de Abul rejeitou a proposta do filho do mulá para obter a mão da irmã dele em matrimônio. A irmã de Abul era só uma estudante do oitavo grau.

Antes de se converter, Abul fazia parte de uma seita mística, marafati, que também aborrecia seus vizinhos muçulmanos com os festivais que ele realizava em sua casa.

Durante tais festivais, seguidores marafati cantavam baladas populares acompanhadas de ektara (instrumento de um fio) e dhoul (uma espécie de instrumento de percussão).

Quinze dos 20 membros da seita marafati expressaram seu interesse para se tornarem seguidores de Cristo, incluindo o líder. Alguns dos muçulmanos liberais também foram receptivos ao evangelho. Isso incitou Tapan Biswas a viajar da aldeia de Jalokhati e visitar a casa de Abul em Bedagi. Ele chegou lá às 11 horas do 6 de janeiro, uma hora antes da detenção.

Sem fiança

Um funcionário local ligou para a delegacia de polícia para atestar que Tapan era um “bom homem”. Ele também pediu a liberação imediata de Tapan.

O reverendo Hirak Adhikary da Igreja Amigos Evangélicos de Bangladesh fez o mesmo por Tapan. Ele batizara Tapan recentemente.

Embora promessas tenham sido feitas em favor da liberação dele, Tapan permaneceu preso com Abul. Depois eles foram transferidos para o distrito de Barguna, onde o caso deles seria julgado pelo magistrado local. Inicialmente eles seriam libertados no dia 8 de janeiro, mas eles não adquiriram a possibilidade de fiança na primeira audiência.

Tapan é um calouro da faculdade. Ele pertence a uma família de cristãos hindus. O pai dele, Philip Biswas, é um fazendeiro. Ele chorou muito ao saber do filho dele estava passando.

Desmentido

No registro policial do sub-distrito de Bedagi está escrito: “Eles são acusados de criticarem o islã”. “Encontramos um Novo Testamento (Bíblia) na casa de Kalam. Eles são acusados de incitar a fraiva dos muçulmanos locais por ferir os sentimentos deles. Estamos inseguros com a relação de Abul Kalam com um homem jovem cristão chamado Tapan Biswas.”

Foram derrubadas as acusações contra Tapan Biswas e ele foi solto no dia 17 de janeiro, doze dias depois de ser detido e por um período maior do que o prescrito pela lei nesses casos, de acordo com o artigo 54.

Abul Kalam permaneceu preso. Com a ajuda do Rev. Hirak Adhikary, a Portas Abertas enviou algum dinheiro para cobrir as despesas com o advogado, o que deixou a família dele muito grata.

No dia 22 de janeiro, Abul foi libertado sob fiança. Ele foi julgado no dia 24 de janeiro e absolvido do processo judicial porque os muçulmanos não registraram nenhuma reclamação oficial.

Os dois estão aguardando o julgamento em liberdade.

Pedidos de oração

– Peça para que as acusações contra Tapan e Abul sejam retiradas. Ore para que a fé deles seja renovada a cada dia.

– Ore pelo encorajamento das famílias de Tapan Biswas e Abul Kalam. Peça para que Deus os fortaleça, especialmente quando o amor deles para com Cristo é testado pela pressão de muçulmanos.

– Eles também foram vítimas do ciclone Sidr que bateu a aldeia deles em 16 de novembro. Ore para que eles tenham esperança em Deus e que possam ter suas casas e pertences restabelecidos.

– Ore pelo grupo de pessoas que advogam em defesa dos direitos constitucionais dos cristãos em Bangladesh. Peça também pela proteção de Deus a este grupo, bem com para suas famílias.

Fonte: Portas Abertas