“O caso contra homem acusado de bater em sua mulher e enteado e promover a morte de ambos em Framingham, esta demorando muito”, disseram os advogados do caso na semana passada na Corte Superior de Middlesex.

Jeremias Bins, 31 anos estava com audiência marcada, mas o Promotor de justiça Lee Hettinger e o advogado de defesa Earl Howard disseram à juíza Sandra Hamlin que eles não poderiam prosseguir até que o Juiz Isaac Borenstein dê seu parecer sobre a moção de retirada de acusação.

Howard argumentou em defesa dessa moção perante ao Juiz Borenstaein no dia 24 de outubro. De acordo com o advogado, a ocorrência registrada pelo policial não era válida visto que Miranda teve seu direito a ter um advogado negado.

Bins, morador da 27 Gordon Street, está preso sem direito a fiança no Presídio do Condado de Middlesex. Ele é acusado de espancar sua esposa, Carla Souza, 38 anos, e seu enteado Caíque até causar a morte de ambos no dia 20 de maio de 2006. O motivo do crime teria sido a afiliação de Carla na Igreja Mórmom.

“Bins falou aos policiais, que Carla estava sentada na cama falando ao telefone, quando ele veio da direção do armário com um martelo em punhos e começou bater nela. Ele disse que golpeou-a na cabeça por vária vezes, enquanto ela ainda falava ao telefone. Bins disse ainda que Caique Souza entrou no quarto e ele o atingiu com um único golpe na cabeça com o martelo.

O médico do Estado que fez o exame de corpo delito, deu seu parecer da causa das mortes: Múltiplas fraturas no crânio com lacerações cerebrais causados por um objeto pesado, no caso um martelo.

Fonte: Brazilian Voice