Uma juíza federal dos Estados Unidos determinou nesta sexta-feira o início imediato dos julgamentos de 42 casos de abuso sexual atribuídos a sacerdotes da diocese católica de San Diego (Califórnia), segundo informou a imprensa americana.

Cinco julgamentos tiveram que ser suspensos em fevereiro, quando a diocese declarou falência um dia antes de o primeiro começar.

A decisão da juíza Louise DeCarl Adler representa uma vitória para mais de 100 pessoas que denunciaram ter sido abusadas por parte de padres da diocese.

Os advogados das vítimas argumentaram que a reabertura dos processos era a única maneira de conseguir um acordo com a diocese.

Há mais de três anos se arrastam as negociações em tribunais estaduais e federais.

A diocese de San Diego se declarou em quebra em fevereiro, depois do fracasso das negociações para resolver as queixas por abusos sexuais. São cerca de 150 denúncias de abuso, que datam da década de 1950 e afetam 60 sacerdotes. Os valores exigidos em indenização chegariam a cerca de US$ 200 milhões.

O bispo de San Diego, Robert Brom, disse então que tomou a decisão porque ceder às exigências dos litigantes teria significado a ruína da diocese.

Com cerca de 1 milhão de fiéis, a diocese de San Diego foi a quinta dos EUA a se declarar em quebra devido a denúncias de abusos sexuais.

Fonte: Folha Online