É a tendência que impressiona. Se 92% dos brasileiros com mais de 60 anos foram batizados na Igreja Católica, para jovens entre 16 e 24 anos, o índice despenca para 75%. Ou seja: as novas gerações têm menos genes católicos no DNA religioso.

Pode ficar pior se os batizados (em número decrescente, como se viu) ainda se afastarem do catolicismo conforme envelheçam. É o que parece ocorrer, quando se verifica que, dos 83% que foram batizados (na faixa dos 25 aos 34 anos), só 53% cumpriram a primeira comunhão. Pelo crisma, acabaram passando só 39%. Só 16% casaram-se na igreja. É muita “ovelha desgarrada do rebanho” -e ovelhas com fome do sagrado.

O Datafolha perguntou: “Com que freqüência você costuma ir à igreja, ou a cultos, ou a serviços religiosos?”

Entre os católicos, 51% disseram que vão à igreja uma vez por semana ou mais. Entre os pentecostais, 85% declararam a mesma freqüência -34 pontos percentuais a mais.

Vão mais e colaboram mais. 89% dos evangélicos pentecostais dizem que costumam ajudar financeiramente sua igreja, contra 75% dos católicos.

Fonte: Folha de São Paulo