O beijo gay entre duas personagens lésbicas na novela Em Família, da TV Globo, virou alvo de protesto de internautas evangélicos nas redes sociais.

A cena, levada ao ar ontem, 30 de junho, mostrou um pedido de casamento feito pela personagem Marina, interpretada por Tainá Muller, a Clara, vivida por Giovanna Antonelli. Na história contada pela novela, Clara deixou o marido. Cadu (Reinaldo Gianecchini) para embarcar no relacionamento homossexual.

A novela escrita por Manoel Carlos estreou em fevereiro e vem enfrentando problemas por conta da baixa audiência, o que resultou na decisão da emissora de encurtá-la. A Globo colocará no ar seu novo folhetim da faixa das 21h00, Império, já no próximo dia 21 de julho.

“Vamos desligar a televisão nesta segunda-feira e derrubar a audiência da rede Globo até parar com essa afronta aos princípios de Deus”, dizia a imagem que circulou intensamente nas redes sociais.

Essa não é a primeira campanha de boicote às novelas da Globo lançada nas redes sociais por internautas evangélicos. Outro folhetim contemporâneo que enfrenta a crítica do público é a novela das 18h00, Meu Pedacinho de Chão, escrita por Benedito Ruy Barbosa. Apesar do discurso crítico à classe política e às mazelas sociais do país, o folhetim é acusado de fazer apologia às religiões afro.

No passado, outras novelas geraram campanhas de boicote à Globo, como no caso de Amor à Vida, escrita por Walcyr Carrasco, e que antecedeu Em Família; ou ainda no caso de Salve Jorge, de autoria da escritora Glória Perez.

Esta última gerou uma grande polêmica e uma reação de Perez nas redes sociais, chamando os evangélicos de imbecis. No último capítulo da novela, Perez inseriu uma cena provocativa, em que a vilã se convertia a uma denominação pentecostal dentro da cadeia, e dizia que havia mudado, tornando-se uma nova pessoa.

[b]Fonte: Gospel +[/b]