Hannatu Adamu, 40 anos é uma vibrante evangelista engajada na pregação da Palavra às muçulmanas do Estado de Kano (norte da Nigéria). Hannatu foi presa em casa no dia 22 de janeiro, depois de receber em sua residência quatro ex-muçulmanos que haviam sido expulsos de suas casas.

Ela tem sido alvo de muçulmanos, que estão irritados com a evangelista por ela compartilhar o evangelho com suas esposas.

Um tribunal da sharia (lei islâmica) do governo regional de Sumaila, no Estado de Kano, condenou Hannatu por evangelizar mulheres muçulmanas, convertendo-as ao cristianismo e por convidar os quatro ex-muçulmanos à sua casa. O pai dos quatro convertidos abriu o caso contra ela com a ajuda de um chefe tradicional da região.

No dia 9 de fevereiro, Hannatu foi libertada sob fiança e pôde voltar para casa, mas ela vive sob constante medo de sofrer violência, já que a comunidade muçulmana local a perturba continuamente.

Hannatu tem feito de sua casa um refúgio para ex-muçulmanos expulsos de suas comunidades, e lá ela os alimenta e discipula com a ajuda de dois pastores de sua congregação.

O Estado de Kano é um dos 12 Estados do norte da Nigéria que são governados pelo sistema legal da sharia. Sob a sharia, a conversão ao cristianismo é um dos piores crimes que um muçulmano pode cometer. Uma vez que Hannatu esteve envolvida na conversão de muçulmanas ao cristianismo, o caso foi julgado por um tribunal da sharia por seu caráter religioso. Entretanto, um cristão pode apelar a outras cortes caso o veredicto da sharia não se adeque a ele.

Mas essa não é a primeira vez que Hannatu foi presa por evangelizar muçulmanos. Essa pregadora corajosa e franca já foi detida diversas vezes por tentar testemunhar a muçulmanas.

A interação de alguém com o sexo oposto é proibida de acordo com a lei sharia, por isso Hannatu se sente bem certa quanto ao seu chamado. Ela é apenas uma das pouquíssimas evangelistas do norte da Nigéria. Hannatu compartilhou com a Portas Abertas: “As mulheres muçulmanas são muito especiais aos olhos do Senhor e elas precisam ouvir sobre a salvação em Cristo a todo custo”.

Fonte: Portas Abertas