Cristãos orando na Índia
Cristãos orando na Índia

Autoridades do Estado de Jharkhand, no leste da Índia, acusaram 25 evangelistas de supostamente tentar converter aldeões tribais hindus ao cristianismo.

Os pregadores, sete dos quais são mulheres, estavam compartilhando o evangelho em um remoto vilarejo, a cerca de duzentos quilômetros a leste da capital do estado, quando foram confrontados por moradores locais que teriam ficado chateados com suas atividades evangelísticas.

“Os aldeões ficaram irritados quando começaram a fazer comentários depreciativos sobre locais de culto tribais – localmente chamados de ‘Manjhi Than’ e ‘Jaher Than’ – dizendo que Satanás residia em tais lugares”, disse um oficial de polícia com conhecimento sobre o caso à mídia local. “Aldeões furiosos pediram a eles que parassem, mas não o fizeram.”

Os evangelistas foram forçados a parar de pregar e posteriormente foram mantidos como reféns pelo chefe da aldeia.

“Eles (aldeões) os detiveram da noite para o dia”, disse um policial. “De manhã, eles informaram a polícia e os entregaram para nós. Não houve violência física ou envolvimento.”

Dezesseis dos 25 cristãos foram presos e acusados ​​de violar a Lei de Liberdade Religiosa da Índia, que pune um indivíduo por tentar mudar a religião de uma pessoa com base em “sedução, coerção ou trapaça”.

Jharkhand está entre os estados indianos que adotaram a controversa lei, em setembro de 2017, que impõe uma multa e três anos de prisão a quem for considerado culpado de conversão forçada. Os críticos argumentam que a legislação não é nada menos do que uma lei anticonversão e é frequentemente usada por grupos radicais hindus para fazer falsas acusações contra cristãos ou para justificar ataques contra eles.

De acordo com relatos da imprensa, os cristãos colocaram alto-falantes na aldeia e começaram a convidar as pessoas a aprender mais sobre o cristianismo. Esta foi supostamente a segunda vez que a equipe visitava a aldeia. A primeira, também foi recebida com resistência.

O chefe da aldeia apresentou uma queixa formal à polícia, acusando os evangelistas de forçar os hindus a se converterem ao cristianismo. Os evangelistas negaram a acusação.

A polícia disse que confiscou várias publicações cristãs, livros, cartazes e material de áudio encontrados na posse do grupo.

A prisão acontece quando a violência contra os cristãos na Índia continua aumentando.

Um novo relatório da Alliance Defending Freedom (ADF) , uma organização não-governamental, registrou 101 incidentes de violência anticristã em 2018.

“Cerca de 20 episódios de violência contra cristãos aconteceram todos os meses, de janeiro até o final de maio de 2018”, disse AC Michael, leigo católico e conselheiro da ADF, em um comunicado à Agência Fides.

A Missão Portas Abertas dos EUA classificou a Índia na posição nº 11 dos 50 principais países onde é mais perigoso seguir Jesus.

“Como os radicais hindus vêem os cristãos como forasteiros, eles estão sofrendo uma perseguição crescente”, declara o Portas Abertas em seu site. “Esses radicais têm a intenção de limpar a nação tanto do islamismo quanto do cristianismo e empregam a violência para esse fim.”

“Geralmente, os convertidos ao cristianismo sofrem a pior perseguição e estão constantemente sob pressão para voltar ao hinduísmo”, acrescentou o grupo.

Fonte: CBN News