Um site cristão diz em sua lista dos dez principais ataques às crenças cristãs que se trata de um problema crescente de cristofobia nos Estados Unidos.

Depois de aceitar várias submissões, o blog DefendChristians.org listou os dez principais eventos anticristãos em 2010.

O evento número um na lista é o uso da Lei de Não-Discriminação no Trabalho para forçar as instituições baseadas na fé a contratar os não-crentes.

Também perto do topo da lista está a expulsão de dois estudantes cristãos de seu programa de mestrado em aconselhamento por causa de suas crenças bíblicas sobre homossexualidade. Estes são exemplos do crescimetno da fobia em relação aos Cristãos, disse o Dr. Gary L. Cass, presidente e CEO da Comissão de Anti-Difamação Cristã.

A CADC, uma organização sem fins lucrativos que defende a causa dos Cristãos, é a organização por trás do site.

“Isso vem acontecendo durante muitos anos. Seculares e não-crentes têm tentado descreditar Cristo,” afirmou Cass.

“E isto está ficando mais intenso a cada ano,” afirmou.

Estes ataques à liberdade dos Cristãos para livremente crer e praticar a sua fé ilustra um medo do Cristianismo, ele afirmou. Como a maioria das outras fobias, Cass disse que esse medo é irracional.

“Se essas mesmas atitudes fossem tomadas contra outros grupos, alguém chamaria de intolerância,” disse ele.

“Todo mundo diz que se você se opõe à homossexualidade, você é homofóbico. Se você se opõe ao Islã , Você é islamofóbico. Se você se opõe o Cristianismo, você é Cristofóbico,” argumentou.

A lista dos dez principais destina-se a destacar os cristãos os episódios de ódio irracional contra a fé e incentivá-los a tomar uma posição, afirmou.

Em segundo lugar na lista de eventos anticristãos está a decisão do juiz Vaughn Walker da Califórnia de derrubar a Proposição 8 aprovada por votação, uma emenda que define o casamento como sendo entre um homem e uma mulher.

“Esta é claramente uma estratégia para tirar qualquer objeção em qualquer lugar,” disse Cass. Os Cristãos, em muitos casos, são justificados pela Primeira Emenda da Constituição dos EUA. No entanto, Cass antecipa que os secularistas e lobistas dos direitos dos homossexuais vão continuar a testar os limites da Constituição.

[b]Fonte: Christian Post
[/b]