O ex-bispo Jorge Coelho tenta reaver na justiça três emissoras de rádio que teriam sido tiradas dele com uso de procuração falsa.

O ex-bispo da Igreja Universal Jorge Coelho da Cunha entrou com ações judiciais na Bahia e em Pernambuco para reaver três emissoras de rádio que, segundo afirma, teriam sido tiradas dele com uso de procuração falsa.

Antes de romper com a Universal, em 2002, ele foi bispo por dez anos, e responsável pela região Nordeste.

Ele afirma na Justiça que demorou a reivindicar a retomada das rádios porque teria sofrido perseguição religiosa. Disse que, após o rompimento, viu-se forçado a deixar o país, e morou por cinco anos nos Estados Unidos.

O ex-bispo diz que nunca assinou documento autorizando a venda de suas cotas. As transferências foram registradas nas juntas comerciais da Bahia e de Pernambuco, por procuração.

O advogado Marcelo de Lima Brasil, que presta serviços à igreja, assinou a documentação nas juntas comerciais como procurador do ex-bispo e da ex-mulher dele.

As ações são contra as emissoras e bispos que sucederam Jorge da Cunha. O bispo Edir Macedo, líder da Universal, não é réu.

O advogado Marcelo de Lima Brasil, que representa a Universal, disse que não se lembrava dos processos e nem sabe se eles “existiram”. Afirmou ainda que, caso tenha sido “alguma coisa de cliente”, “existe o sigilo” e a “ética profissional” que o impedem de falar.

Lima Brasil assinou as documentações nas juntas comerciais como procurador de Jorge da Cunha.

A Folha procura a Igreja Universal desde abril. A advogada Simone Galhardo, que respondia interinamente pela diretoria jurídica, disse que a igreja não é parte no processo. Em outras tentativas, não houve retorno.

Este é o terceiro conflito judicial sobre a propriedade de empresas de radiodifusão envolvendo ex-bispos da Igreja Universal. Em 2007, a Justiça do Rio condenou o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) a pagar R$ 1,5 milhão ao ex-bispo Paulo Roberto Gomes da Conceição, referente a ações da TV Cabrália, de Itabuna (BA), depois de uma sociedade desfeita.

Em Santa Catarina, o ex-bispo Marcelo Nascente Pires tenta anular a transferência de ações das TVs Itajaí e Xanxerê. Em outra ação em Curitiba (PR), ele acusa dirigentes da igreja de fraude.

[b]Fonte: Folha de São Paulo[/b]