Após conhecer uma mulher cristã no exterior, ele se converteu ao cristianismo e se casou com ela. Ao voltar para Bangladesh, ele foi totalmente rejeitado por sua comunidade

“Eu escolhi crer em Cristo. Eu agradeço a Ele” pois “Ele é o meu salvador”, disse Vincent , um ex-imame muçulmano que se converteu a Cristo, e por isso tem sofrido perseguição em sua comunidade.

Sua caminhada rumo à conversão começou no exterior, bem distante de Bangladesh. Depois de visitar uma Igreja Batista e outra Presbiteriana, ele se apaixonou por uma mulher cristã, se converteu e se casou com ela. Ao voltar a Bangladesh, Vincent e sua esposa foram recebidos com ameaças e violência pelos membros de sua comunidade que quase o mataram.

O islamismo é considerada a religião oficial de Bangladesh, mas a lei islâmica (sharia) não é reconhecida pela constituição do país e esta garante a liberdade de culto. Isto faz de Bangladesh um dos estados islâmicos mais abertos do mundo, onde a conversão pode ocorrer em uma atmosfera de tolerância geral.

No entanto, a presença social e cultural do Islã é tão forte em algumas comunidades que acaba refletindo no comportamento dos muçulmanos quanto as pessoas que se convertem a outras religiões.

Depois de quase dois meses no hospital, Vincent voltou para casa. Mas os mesmos muçulmanos dos quais um dia foi líder religioso o seguiram e o atacaram, dizendo que não poderiam aceitar “sua nova religião”.

Agressão física não é a única forma de perseguição em Bangladesh. Outras formas de violência podem ser usadas. Ambos, Vincent e sua esposa, estão condenados ao ostracismo, forçados a viver fugindo e se mudando de casa em casa. Vincent acabou perdendo o emprego e agora têm de fazer bicos para sobreviver.

Hoje Vincent é um homem com muitos problemas. No entanto, a exclusão social não o afastou de Jesus. Agora ele frequenta os cultos com mais intensidade do que antes e volta a afirmar: “Eu creio em Cristo. Nele, eu nasci de novo. Ele é o meu salvador”.

[b]Fonte: Missão Portas Abertas[/b]