Um grupo de ações institucionais cristão pediu ao principal ministro do Estado de Assam, na Índia, proteção para os cristãos locais depois que agressores ainda não identificados (suspeita-se que sejam extremistas hindus), bateram em um trabalhador cristão até a morte, em Guwahati.

Hemanta Das, um cristão de 29 anos, havia sido alertado por extremistas hindus para que interrompesse o seu ministério. Ele foi severamente espancado. Dois dias depois foi levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Ele trabalhava em uma organização cristã local, o Centro de Recursos Elohim (resgate). Converteu-se do hinduísmo para o cristianismo alguns anos atrás, quando deixou de ser membro do grupo extremista Rashtriya Swayamsevak Sangh (RSS).

O Conselho Cristão para Toda a Índia (AICC, sigla em inglês) escreveu no dia 25 de julho ao ministro Tarun Gogoi, de Assam, solicitando que ele prenda os responsáveis e proteja a minoria cristã de tais ataques.

“Em várias ocasiões, ele foi alertado por grupos radicais das conseqüências medonhas que se seguiriam caso ele tentasse converter as pessoas ao cristianismo”, disse o diretor executivo do Centro de Recursos Elohim, Amzad DeCruz.

Mártir

Em um comunicado, o doutor Ngul Khan Pau, secretário-geral do Conselho de Igrejas Batistas da Índia oriental, declarou Hemanta Das, membro de uma igreja batista, como o “primeiro mártir cristão em Assam”.

Ngul Khan Pau também disse que o caso de assassinato foi registrado pela polícia, mas que os culpados não foram achados. O reverendo Madhu Chandra, um líder da AICC da Índia nordeste, disse ao Compass que a presença de grupos extremistas hindus no Estado era muito forte.

“Quando eu estava trabalhando com uma organização cristã há alguns anos, muitos de nossos trabalhadores eram atacados por extremistas”, contou Madhu.

Assam tem 986,589 cristãos de uma população de 26,6 milhão.

No dia 6 de fevereiro, aldeões hindus espancaram cristãos e destruíram a casa de um cristão convertido, Rahbindra Narzaree, porque ele se recusou a se “reconverter” ao hinduísmo, na aldeia de Bashbari, distrito de Kokrajhar, em Assam.

Fonte: Portas Abertas