As crianças regressavam de uma atividade em uma igreja evangélica pentecostal e estavam sob responsabilidade da Fundação Magdalena, ligada à igreja.

Trinta e três crianças morreram e 18 ficaram feridas nesse domingo (18), na Colômbia, quando o ônibus em que estavam explodiu no departamento de Magdalena, Norte do país.

Elas tinham entre 2 e 12 anos de idade e morreram queimadas no local. Segundo testemunhas, o veículo não possuía saída de emergência, por isso somente as crianças maiores conseguiram sair, porém com graves queimaduras.

As causas da explosão ainda estão sendo investigadas, mas as autoridades descartam que tenha ocorrido um atentado. A hipótese mais realista é de que o ônibus transportava gasolina contrabandeada, uma prática comum na região, segundo a polícia. De acordo com depoimentos de moradores, o veículo explodiu rapidamente, antes da chegada dos bombeiros. A população tentou conter as primeiras chamas, mas o fogo se espalhou e o veículo explodiu em questão de segundos.

O presidente colombiano Juan Manuel Santos comentou a tragédia em sua conta no Twitter e disse que o país “está de luto”. Ele revelou que o veículo possuía seguro obrigatório de acidentes de trânsito, medida adotada no país há dois anos. Os corpos das vítimas foram encaminhados para o Instituto de Medicina Legal de Barranquilla, centro urbano mais próximo. Como as vítimas morreram carbonizadas, a maioria terá de ser identificada pela arcada dentária ou por exame de DNA.

[b]Fonte: EBC[/b]