Extremistas hindus que costumam ameaçar e perturbar os cristãos de uma vila no Estado de Madhya Pradesh agrediram os avós e a tia de uma menina de 15 anos no fim de semana passado quando a família impediu que os homens a estuprassem.

O grupo vinha bêbado de um festival hindu e gritava slogans anticristãos e maldições. Os nove homens do grupo extremista Bajrang Dal chegaram à casa de Brij Gopal Saket na vila de Bahera, distrito de Rewa, no sábado dia 22 de março e exigiram que a família entregasse a menina Urmila para que pudessem violentá-la.

“Eu implorei para que eles não fizessem isso e os lembrei de que somos irmãos da mesma vila e comunidade”, disse Saket ao Compass. “Eles disseram que não, e que por eu ter me convertido ao cristianismo, não era mais parte da comunidade”.

Saket conseguiu se trancar, juntamente com sua esposa e sua filha, dentro de casa, mas os extremistas – que já ameaçaram outros membros da comunidade de morte caso eles não parassem de adorar a Jesus Cristo – agarraram os pais de Saket e sua irmã que ainda estavam fora de casa. Os homens espancaram a mãe de Sake, Hirawa Saket, o pai, Sant Lal Saket, e a irmã Michwa.

“Os extremistas usaram varas, porretes e pedras”, disse a testemunha Ram Mani ao Compass. “Os moradores da vila se juntaram para acabar com essa carnificina”.

Casal de idade

Os moradores levaram os feridos ao Centro Médico Nai Garhi Primary que fica a 15 quilômetros da vila. Os médicos contaram que uma pedrada quebrou o nariz da mãe de Saket. A senhora de mais de 60 anos de idade apresentava outros ferimentos na cabeça e no corpo.

A irmã de Saket também apresentou sérios ferimentos na cabeça. O pai, que esteve seriamente doente nos meses anteriores ao ataque, apresentou ferimentos na mão esquerda, incluindo uma possível fratura no dedo médio.

Moradores da vila que foram recrutados e treinados pelos líderes extremistas hindus do local, Shrikant Tomar e Subhash Gupta (ambos pertencentes à altas castas), ameaçaram os cristãos de morte se eles não se juntassem ao grupo Bajrang Dal, ala jovem do grupo extremista Vishwa Hindu Parishad (Conselho Mundial Hindu).

Perseguição, abuso e embaraço

Extremistas da área de Bajrang Dal abusam continuamente das mulheres cristãs e negam aos cristãos acesso ao poço instalado pelo governo onde as pessoas tiram água, disseram moradores do local.

Saket diz que desde que se converteu ao evangelho, há dois anos, já sofreu dois ataques, em julho de 2007 e em 17 de janeiro. “O alvo do ataque anterior não foi a minha família”, disse Saket.

O caso foi registrado na delegacia de polícia de Nai Garhi, mas nenhum dos agressores foi preso até o momento. Os nomes registrados na queixa são Bhagwandeen, Jagdish, Kanhai, Somnath, Ramesh, Suresh, Shivpal, Mohan Lal and Gopilal. A polícia espera por um relatório médico definitivo.

O dia 22 de março marcou a celebração do Festival Hindu de Holi, na Índia, que por tradição é um momento onde as pessoas pintam umas as outras, mas é também uma desculpa para se embebedarem. Cerca de 40 cristãos da vila são pobres, não possuem nenhuma terra e não têm nenhuma voz política e social.

Fonte: Portas Abertas