Dois advogados cristãos foram acusados de converter pessoas ao cristianismo, na aldeia de Bada Saara Sahi, perto de Khurda, na Índia. Em 8 de maio, três homens foram presos sob a acusação de práticas de converter moradores locais ao cristianismo à força. Outras 55 pessoas foram presas em 22 e 23 de maio, em episódios relacionados ao primeiro evento.

Os dois advogados, Manas Ranjan, ativista dos direitos humanos, e Rasmi Ranjan Jena realizaram uma investigação no local. As acusações contra eles foram as de forçar conversões ou de proselitismo, o que é muito usado por organizações militares hindus contra os cristãos.

A acusação, apresentada pela Kailash Pradhan, é a seguinte: os presos, juntamente com os outros, são acusados de tentar convencer hindus a abandonar o culto aos seus deuses e deusas hindus e abraçar outra crença, não especificada.

“Não estamos revoltados com a regra natural da ‘intocabilidade’ hindu. Eles não querem ser parte da religião hindu, mas ao mesmo tempo dizem que não se converteram a nenhuma religião. Eles tentam levar os outros membros de sua comunidade a se opor ao sistema de castas, mas sem converter ninguém a nenhuma religião”, disseram os dois advogados em sua própria defesa.

[b]Fonte: Missão Portas Abertas[/b]