Um jovem cristão que foi preso há quase oito meses declarou que sua família foi atacada depois que um amigo muçulmano o acusou de assassinato. Yassir Masih, de 18 anos, ficou detido no Distrito Sheikhupura desde que sua prisão foi decretada no final de fevereiro.

Masih contou a Compassa Direct News que, em 17 de fevereiro, seu amigo muçulmano Muhammad Mubashir chegou à sua casa tarde da noite e pediu-lhe para acompanhá-lo em “uma obra urgente de trabalho”. O cristão o acompanhou até a casa de Muhammad Imran, na aldeia Pandori.

Ao atender a porta, Imran, que era apaixonado pela mesma garota que Mubashir, foi morto por ele. Porém uma multidão foi formada contra Masih, que não querendo pôr em perigo a sua família, fugiu. O cristão e Mubashir concordaram em deixar a aldeia, mas Mubashir se juntou à multidão à procura do assassino.

Com a ausência de Masih no dia seguinte, seus vizinhos inferiram-lhe a culpa pelo assassinato. O pai de Mubashir registrou queixas de homicídio – como também acusações de porte de armas contra o pai e irmãos de Masih. Em 18 de fevereiro, os vizinhos saquearam e destruiram a casa Masih e na casa de seu falecido avô, agrediram as mulheres e crianças.

Khalid Gill, organizador-chefe da Aliança Minoritária dos paquistaneses da província de Punjab, declarou que em 19 de fevereiro a mãe de Yassir Masih, Shamshad Bibi, foi à delegacia Narang Mandi para apresentar uma queixa contra os aldeões muçulmanos mas não teve sucesso.

A polícia Narang Mandi prendeu não só Yassir Masih, mas seus irmãos Ashir Masih e Asif Masih, 15 e 23 anos respectivamente, disse Gill. Os irmãos foram interrogados por agentes da Agência de Investigação Criminal e foram mantidos em um local não revelado desde 18 de fevereiro; o pai de Masih está escondido.

[b]Fonte: Missão Portas Abertas[/b]