Parentes de vítimas do vôo JJ-3054 da TAM realizarão um ato ecumênico no terreno da TAM Express, na zona sul de São Paulo, no próximo domingo (17). O local, que fica em frente ao aeroporto de Congonhas, abrigava o prédio que foi atingido pelo Airbus-A320 da TAM no dia 17 de julho de 2007, causando a morte de 199 pessoas.

Esta será a primeira vez que os parentes terão acesso ao local, sete meses após o acidente. Para o presidente da Afavitam (Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Vôo TAM JJ-3054), Dario Scott, pai de Tais, 14, uma das 199 vítimas do acidente, trata-se de uma forma de reafirmar a vontade dos parentes de instalar no local um memorial.

“Será um ambiente muito carregado emocionalmente para todos, mas foi ali [no terreno] que tudo acabou. Marcaremos nossa posição de que queremos um memorial”, afirmou Scott.

Em 2007, a Prefeitura de São Paulo chegou a anunciar que pretendia construir uma praça de 8.500 metros quadrados em homenagem às vítimas do acidente no local. O projeto da praça dos Ipês Amarelos seria assinado pelo arquiteto Marcos Cartum e tinha inauguração prevista para 2008. A proposta, entretanto, não foi adiante.

O ato ecumênico está marcada para acontecer às 17h do domingo, com a presença do padre Antonio Maria. Além dele, foram convidados representantes da Igreja Luterana, Judaísmo e Espiritismo.

Antes do ato, os parentes realizarão uma passeata com saída prevista à 15h do Obelisco do Ibirapuera até o terreno. A concentração será feita a partir das 14h e o percurso inclui avenidas Pedro Álvares Cabral e Rubem Berta, passando pelo viaduto José Muniz até a avenida Washington Luís.

Reunião

Os parentes das vítimas realizam uma reunião no sábado, num hotel da zona sul de São Paulo.

Entre os temas a serem debatidos está o da criação de uma câmara de conciliação que terá o intuito de agilizar o pagamento extrajudicial das indenizações. Mais tarde eles devem se reunir com o diretor do Decap (Departamento de Polícia Judiciária da Capital), Aldo Galiano Júnior, e o promotor público Mário Luiz Sarrubbo, para obter detalhes a respeito do andamento das investigações sobre o acidente.

A Afavitam também irá se filiar a Fivaa (Federação Internacional das Vítimas de Acidentes Aéreos), que reúne 12 associações de familiares de vítimas de acidentes aéreos de diferentes países. O secretário-geral da entidade, Gerard David, foi convidado a participar.

Fonte: Folha Online