Agentes do FBI americano vão colaborar com as autoridades italianas para “decifrar” um exemplar da Bíblia que pertencia a Bernardo Provenzano, o “chefe de chefes” da Cosa Nostra siciliana, e determinar se as anotações dele contêm algum significado oculto, informa hoje o jornal “Corriere della Sera”.

No casarão próximo a Corleone, na Sicília, onde Provenzano foi detido em abril a Polícia encontrou cinco exemplares da Bíblia, um deles com vários trechos sublinhados. Entre suas páginas, havia diversos adesivos “post-it” com frases e números, que para as autoridades italianas podem esconder algum código.

O “Corriere della Sera” diz que os investigadores da Sicília, “convencidos de que as anotações podem esconder um código de comunicação”, solicitaram ajuda do FBI. O órgão americano, que conta com um escritório especializado em decifrar mensagens codificadas, recebeu uma cópia da Bíblia.

O jornal ressalta que o dossiê sobre as investigações do “chefão” da Cosa Nostra inclui, além dos famosos “pizzini” (papeizinhos utilizados por Provenzano para se comunicar com seus cúmplices), muitos papéis em que ele copiava parágrafos inteiros da Bíblia e de outros textos religiosos.

“O chefe mafioso dava atenção especial ao livro do Apocalipse”, detalha o jornal.

Provenzano, que passou mais de 40 anos como fugitivo, se encontra detido na prisão de Terni, no centro da Itália, onde também “lê, estuda, anota e copia” fragmentos da Bíblia, acrescenta o “Corriere della Sera”.

Condenado à revelia à prisão perpétua por vários homicídios, Provenzano se tornou em uma espécie de lenda na Itália por sua figura de fugitivo, de quem não se conhecia sequer o rosto. Sua detenção em abril, um dia depois das eleições gerais italianas, representou o maior golpe contra a poderosa Cosa Nostra nas últimas décadas.

Fonte: EFE